Vasco perde de virada em casa para o Atlético-GO e deixa o G-4 do Brasileiro

Com gol anulado pelo VAR no fim, Cruzmaltino paga um alto preço pela falta de criatividade

Por MARCELO BERTOLDO

Renato Kayzer agradece aos céus: dois gols em São Januário
Renato Kayzer agradece aos céus: dois gols em São Januário -

O Vasco desperdiçou a chance de colar no líder Internacional com a derrota, por 2 a 1, para o Atlético-GO, nesta quinta-feira, em São Januário. Cano marcou o sexto no Brasileiro, mas não evitou o tropeço que custou o lugar no G-4. A falta de criatividade, evidenciada pelos muitos erros de passe, fez a diferença dessa vez. Domingo, o Vasco tentará a reabilitação no clássico com o Botafogo.

A ausência de Benítez, poupado, Carlinhos herdou a vaga e a missão de municiar Cano. A tarefa que não era fácil se mostrou ainda mais desafiadora pela postura do Atlético-GO. Se para o Vasco a vitória valia a vice-liderança, para o Dragão, a saída da zona de rebaixamento.

Com muita intensidade de marcação e velocidade na saída de bola nos pés de Janderson, os visitantes testaram a melhor defesa da competição. Na melhor delas, Fernando Miguel respondeu à altura na finalização de Chico.

Com o meio de campo engessado, pela lentidão e erros de passe, o Vasco pouco ameaçou. Isolados, um em cada ponta, Bruno César e Talles Magno não funcionaram no primeiro tempo. Na volta do intervalo, com Bruno Gomes e Vinícius no lugar de Fellipe Bastos e Carlinhos, respectivamente, Ramon Menezes tentou corrigir o problema.

No duelo de estratégia à beira do gramado, Vágner Mancini estava em pequena vantagem. O Atlético voltou melhor e colocou Fernando Miguel para trabalhar. Mas torcedor que conta com uma 'máquina' de gols em campo não perde a esperança. E se a bola não chegou 'redonda', Cano, mais uma vez mostrou bom posicionamento e oportunismo, ao aproveitar a sobra após a finalização de Talles para tocar na saída de Jean e marcar seu sexto gol no Brasileiro e 15º em 2020: 1 a 0, aos 16.

Não deu tempo de comemorar. A reposta do Dragão foi imediata e com direito a 'lei do ex'. Revelado na Colina, Renato Kayser, de cabeça, deixou tudo igual, aos 17, e comemorou. A expectativa de um jogo aberto e eletrizante após os gols relâmpagos, no entanto, não se confirmou. Com Ribamar no lugar de Bruno César, Ramon, tentou na base da disposição buscar o resultado.

Com uma passagem de quatro anos em São Januário, Retano Kayser mostrou que ainda conhece bem os atalhos no gramado do ex-clube. Ele usou a cabeça mais vez e colocou o Atlético em vantagem, aos 28. Ygor Catatau mostrou serviço no lugar de Talles. A grande jogada merecia o gol, mas Jean fez duas grandes defesas. Primeiro na finalização de Cano e, na sequência, no rebote de Pikachu. Aos 44, Cano empatou, mas o VAR anulou o gol ao assinalar um toque de mão do atacante.

Galeria de Fotos

Renato Kayzer agradece aos céus: dois gols em São Januário Ricardo Cassiano/Agencia O Dia
Germán Cano lamenta a derrota de virada. O argentino ainda teve um gol anulado pelo VAR no fim Ricardo Cassiano/Agencia O Dia
O argentino Germán Cano fez o gol do Vasco, o sexto dele no Brasileiro, mas o Dragão virou Ricardo Cassiano/Agencia O Dia

Comentários