Sá Pinto  - Daniel Castelo Branco
Sá Pinto Daniel Castelo Branco
Por O Dia
Porto Alegre - A derrota para o Grêmio, por 4 a 0, neste domingo, em Porto Alegre, expôs um Vasco cada vez mais frágil defensivamente e sem perspectiva de melhora ofensiva. 'Atolado' na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, na 17ª posição, com 27 pontos, o Cruzmaltino promete ter uma semana quente. A análise 'positiva' do técnico Ricardo Sá Pinto na goleada na Arena do Grêmio aumentou ainda mais a temperatura do 'caldeirão' que o clube se transformou por conta da crise dentro das quatro linhas e da indefinição política.
"Em relação ao jogo, penso que no primeiro tempo era importante ter ido para o intervalo com o 0 a 0. A equipe foi bem. O Grêmio teve jogadores descansados. Isso fez diferença. Tivemos desgaste. Depois, a qualidade do Grêmio fez a diferença. Pepê, Diego Souza... Enquanto conseguimos segurá-los, criamos algum perigo. O Grêmio tem controle de bola, tem boa ideia de jogo, é o futebol curto e apoiado. Desgasta o rival", avaliou o comandante do Vasco.
Publicidade
Três dias depois da eliminação da Copa Sul-Americana, na derrota por 1 a 0 para o Defensa y Justicia, da Argentina, o Vasco vê a crise aumentar, sem esboçar poder de reação. Na próxima rodada, terá no clássico com o Fluminense, domingo, em São Januário, a chance de reagir. Em momento oposto, o Tricolor briga por um lugar no G-4 do Brasileiro.
"Deveríamos ter sido competentes defensivamente, mas também na parte da frente. Não conseguimos. Temos de aceitar que a qualidade do Grêmio é boa, mas temos de saber que precisamos ser mais competentes", destacou Sá Pinto na coletiva concedida ao fim do jogo.