Com 87 casos confirmados e duas mortes, Covid-19 tem avanço lento em Niterói

Cidade tem taxa de crescimento da doença abaixo da média do estado do Rio de Janeiro e, proporcionalmente, do país

Por Irma Lasmar

Rodrigo Neves: 'Quase 50% de Niterói é classe média e alta e que viajaram ao exterior entre dezembro e fevereiro. Se não tivéssemos adotado o isolamento, o vírus teria se espalhado rapidamente'
Rodrigo Neves: 'Quase 50% de Niterói é classe média e alta e que viajaram ao exterior entre dezembro e fevereiro. Se não tivéssemos adotado o isolamento, o vírus teria se espalhado rapidamente' -
Com rígidas medidas de isolamento social e outras ações da Prefeitura, o avanço do coronavírus em Niterói permanece lento em comparação à média nacional. Neste domingo, a cidade contabiliza um total de 87 casos confirmados, sendo 32 em isolamento domiciliar, 17 hospitalizados (14 em Unidade de Tratamento Intensivo), 36 pacientes recuperados e duas mortes, após o resultado positivo de uma moradora de Camboinhas de 65 anos, hipertensa e com câncer.
O prefeito Rodrigo Neves lembra que as cidades do Rio e de Niterói registraram o primeiro óbito em 22 de março e neste domingo a capital já soma mais de oitenta mortos por coronavírus, enquanto Niterói tem duas vítimas fatais.

“Em Niterói poderíamos ter uma tragédia porque a cidade tem características socioeconômicas e territoriais diferente do Rio e do Brasil. Niterói tem quase 50% de sua população nas classes média e alta que viajaram ao exterior entre dezembro e fevereiro, voltando contaminadas, assintomáticas ou com sintomas leves como uma gripe. Se não tivéssemos adotado o isolamento social, o vírus teria se espalhado rapidamente e já teríamos uma situação de caos", defende o prefeito. 
O secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira, reforça junto à população que as irregularidades (como comércios de serviços não essenciais que estejam abertos, pessoas nas praias ou aglomeradas em algum estabelecimento) sejam denunciadas ao telefone 153 ou whatsapp 98450-0153. 
“A guerra é longa, mas estamos vencendo devido à cooperação da população que está compreendendo a gravidade do momento e ficando em casa para cumprir a quarentena. Essa medida, junto com o trabalho da Prefeitura de amparo social para mitigar a crise econômica, para proteger as rendas dos niteroienses, além da preparação da rede de saúde, tanto de vigilância quanto de ampliação da rede para enfrentar o Covid-19, está fazendo com que Niterói hoje esteja bem posicionada e que continuemos com o crescimento abaixo da média do Rio de Janeiro e até do Brasil”, avalia o secretário . “Cada um precisa fazer a sua parte. Ficando em casa você salva a sua vida, dos que ama e das pessoas que precisam estar nas ruas trabalhando". 
Na próxima terça-feira, recomeça a vacinação nos postos de saúde espalhados pela cidade. Além disso, para idosos acamados ou com dificuldades de locomoção, é necessário que um responsável envie um e-mail para vacinaidoso2020@gmail.com com os dados do idoso para que ele possa receber sua dose em casa. A vice-presidente da Fundação Municipal de Saúde, Maria Célia Vasconcellos, informa sobre a situação em Niterói.

“A vacinação na cidade está ocorrendo de forma irregular devido ao abastecimento interrupto do Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde do Estado que, devido à alta demanda, não tem chegado ao nosso estoque com suficiência. A vacina é essencial e ajuda na identificação do coronavírus porque se o idoso tomou a vacina e tem os sintomas de gripe, logo é feito o exame de verificação para saber se ele contraiu Covid-19”, explica Maria Célia, lembrando que a vacina antigripal não imuniza do coronavírus, mas, prevenindo a gripe, evita a baixa imunidade e a vulnerabilidade.

Comentários