Hospitais criam protocolo para atender doentes crônicos

Pacientes ficam em áreas separadas de onde estão infectados com covid-19

Por O Dia

Equipe do setor coronariano do Hospital de Icaraí: risco controlado
Equipe do setor coronariano do Hospital de Icaraí: risco controlado -
A direção do Hospital Icaraí (HI), em Niterói, e do Hospital e Clínica São Gonçalo (HCSS) criaram protocolos para atender pacientes com doenças crônicas sem expô-los a riscos de contaminação por covid-19. Segundo a direção das unidades de saúde, o isolamento social e o receio de infecção têm reduzido a procura por atendimento desses pacientes, especialmente cardiológicos, o que tem contribuído para o agravamento do quadro de saúde dessas pessoas, que têm chegado às emergências em estado grave.  
Nos dois hospitais, os pacientes com coronavírus estão sendo internados de forma separada dos demais pacientes, em andares e unidades de terapia intensiva específicos. De acordo com o doutor Cláudio Catarina, gestor da unidade coronariana do Hospital Icaraí, as ações nas salas de emergência estão sendo rápidas e resolutivas para que os riscos para os demais pacientes sejam minimizados.
"Separamos alas e andares inteiros do hospital, bem como unidades específicas onde os pacientes 'não covid' possam ser assistidos com menor risco de contaminação. Os profissionais da assistência são também distintos, para que não levem a infecção ao paciente sem coronavírus", diz o médico, acrescentando que certos sintomas como dores no peito e no braço, com duração de 10 a 20 minutos, acompanhadas de palidez, náuseas ou vômitos podem ser indicativas de quadro de infarto. "Nesses casos, é preciso buscar a emergência. 
Segundo o Ângelo Di Candia, gestor da unidade coronariana do Hospital e Clínica São Gonçalo, é fundamental que o acompanhamento de pessoas com doenças crônicas seja feito de forma regular. "Para doenças de curso agudo, como uma crise de pressão alta, uma isquemia cerebral e até o infarto agudo do miocárdio, a ida ao hospital é igualmente necessária e decisiva para a recuperação do quadro", destaca o médico. 

Comentários