Niterói reabre óticas, oficinas, consultórios e lojas de materiais de construção

Regras de isolamento social serão mantidas até 30 de junho e continuam liberadas atividades essenciais já em funcionamento; fiscalização nos acessos à cidade continua

Por Irma Lasmar

Comitê científico de acompanhamento da transição gradual para a normalidade será presidido pelo reitor da UFF e composto por especialistas de entidades diversas
Comitê científico de acompanhamento da transição gradual para a normalidade será presidido pelo reitor da UFF e composto por especialistas de entidades diversas -
Niterói iniciou, nesta quinta-feira, um plano de transição gradual para a nova normalidade. Neste primeiro momento, será reaberta a janela para atividades como óticas, lojas de materiais de construção, oficinas mecânicas e de bicicletas, atividades da construção civil, serviços médicos, odontológicos e de fisioterapia. As regras de restrição de circulação e isolamento social serão mantidas até 30 de junho e continuam liberadas as atividades essenciais que estão em funcionamento nas últimas semanas, como farmácias, padarias, pet shops e postos de combustíveis, além de mercados e supermercados - que devem respeitar o horário específico para atendimento a idosos, entre 13h e 15h. Todas essas atividades deverão seguir as novas regras de higiene e de ocupação do espaço físico, para reduzir o risco de contágio entre clientes e funcionários.
A prática de exercícios físicos individuais na orla também será autorizada das 6h às 9h e das 16h às 22h para pessoas até 60 anos. Acima destas idade, só estão liberadas atividades físicas entre 9h e 11h. Shoppings, centros comerciais, bares e restaurantes continuarão fechados, assim como escolas e universidades. Parques e praças também não serão abertos neste primeiro momento.

Em vídeo ao vivo nas redes sociais da Prefeitura de Niterói, o prefeito Rodrigo Neves explicou que o plano de transição gradual para a nova normalidade foi desenvolvido por um grupo de trabalho, que contou com a participação de técnicos da Prefeitura e especialistas do meio acadêmico. De acordo com Rodrigo Neves, "o plano é baseado na ciência e nas melhores experiências internacionais e, para isso, foram levados em conta critérios como a taxa de transmissão da Covid-19 na cidade, taxa de letalidade e a retaguarda de leitos". Ele enfatizou que a dinâmica de todo esse processo será condicionada pelo comportamento dos cidadãos e também pelo ciclo da epidemia, mas, caso seja necessário, o governo poderá retroceder a estágios de restrição mais rígidos.

“Só foi possível planejar esta transição para um novo normal porque Niterói adotou um conjunto de medidas de proteção social e retaguarda da saúde, entre elas a sanitização de vias e comunidades, a testagem rápida da população, a abertura do centro de referência de quarentena, o foco na vigilância epidemiológica, as barreiras sanitárias, o protocolo de aferição de temperatura, a contratação de mais de 1.300 profissionais de saúde, a ampliação de leitos, a distribuição de máscaras e sua obrigatoriedade de uso nas ruas”, ressaltou o chefe do Executivo niteroiense. "Essas medidas achataram a curva de evolução da covid-19 na cidade, diminuíram a procura por unidades de saúde e, consequentemente, a ocupação de leitos, fazendo com que Niterói tivesse a menor taxa de letalidade na Região Metropolitana do Rio”.
Rodrigo adiantou que será criado um comitê científico de acompanhamento do plano de transição gradual para a nova normalidade, a ser presidido pelo reitor da UFF, Antonio Claudio Lucas da Nóbrega, e que terá a participação de especialistas da universidade, da UFRJ e da Fiocruz.

“Não se trata de uma flexibilização ou afrouxamento das medidas de restrição da circulação. Em Niterói, fizemos o dever de casa. Graças à disciplina e perseverança dos cidadãos no isolamento social e às medidas inovadoras da Prefeitura, que foram reconhecidas nacional e internacionalmente, é possível iniciar o programa de transição gradual das atividades para uma nova normalidade. Com as medidas restritivas, a taxa de isolamento social aqui chegou a quase 90% do desejável”, enfatizou Rodrigo Neves. “Apesar de estarmos iniciando o plano de transição para o novo normal, a cidade vai permanecer em isolamento social e com bloqueios em seus acessos. A fiscalização nos acessos com municípios vizinhos será mantida, inclusive com a aferição da temperatura de todos os ocupantes dos veículos”.

O secretário municipal de Saúde, Rodrigo Oliveira, lembrou que será usado um sistema de cores para identificar estágios de combate ao novo coronavírus e níveis de restrição de circulação e isolamento social que serão colocados em prática. Os estágios terão as cores roxa (situação extremamente grave da pandemia, quando há a necessidade de lockdown), vermelha (situação muito grave, com restrições de circulação mais rígidas – estágio atual), laranja (atenção máxima) e amarela (alerta). O sinal verde só deverá ser adotado quando estiver disponível uma vacina contra a covid-19.

“A partir desta quinta-feira continuam fechadas praticamente todas as atividades que tenham aglomeração de pessoas. É importante que o cidadão compreenda que nós vamos conviver durante meses com uma situação difícil de restrição das atividades. Neste momento, o objetivo é a gente dar um sopro de vida para além do confinamento e ao mesmo tempo poder fazer com que o cidadão mantenha a aderência ao isolamento social”, disse o prefeito. "Caso o cidadão veja alguma irregularidade nas ruas, pode acionar o CISP (Centro Integrado de Segurança Pública) pelo número 153”.

Comentários