xxx - Foto / Alessandra Espiuca
xxxFoto / Alessandra Espiuca
Por Irma Lasmar
Niterói - Após mais de quatro meses de portas fechadas, o Reserva Cultural reabriu ontem, terça-feira (28), em ritmo de “novo normal”, com melhorias e novidades. Gastronomia, livraria e galeria de arte retomaram as atividades obedecendo aos protocolos de segurança sanitária devido à pandemia ainda não encerrada de covid-19. O cinema, contudo, permanece fechado. “É como se estivéssemos voltando de uma longa viagem, longe dos amigos, clientes e companheiros de trabalho. Sentimos falta dessa convivência diária e estamos com um desejo imenso de encontrá-los novamente! Entendemos que será recomeço um pouco diferente, respeitando a devida distância, mas com muito sorriso nos olhos, amor e profissionalismo”, afirma Laure Bacqué, sócia-diretora do Reserva Cultural, que fica na Av. Visconde do Rio Branco nº 880, em São Domingos (telefone: 3604-1545) e funciona de terça a domingo, das 12h às 22h. (Veja fotos na galeria ao final da matéria.)
O espaço aberto ganhou mesas espalhadas ao ar livre com distanciamento mínimo, ombrelones e uma nova decoração que deixa o lugar mais aconchegante e acolhedor. "Nestes quatro meses, trabalhamos todos os dias para termos uma reabertura à altura das expectativas da população. Todas as precauções recomendadas no plano de transição serão, obviamente, respeitadas como prioridades. Foram instalados os itens necessários para cuidar de todos, tanto público quanto funcionários, que aliás estão recebendo treinamentos intensivos para agir conforme a determinação das autoridades. Estamos priorizando o nosso atendimento nos espaços arejados, inclusive com novidades no cardápio”, conta Jean Thomas Bernardini, sócio-diretor do Reserva Cultural.
Publicidade
A Galeria reabriu com a exposição fotográfica As Cores de Santanna, de Gustavo Stephan. A cor rosa durante muitos anos prevaleceu na fazenda Fortaleza de Santanna, onde dezenas de construções rosadas faziam oposição ao verde abundante das florestas da encosta da Serra da Babilônia. Esse latifúndio pertenceu durante quase duzentos anos a duas famílias importantes da região, mas há pouco menos de uma década a fazenda - que vinha num longo processo de decadência - foi ocupada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, o MST, que tem a cor vermelha do socialismo como a sua marca. Os antigos moradores, chamados de colonos, possuíam um grande amor pelo espaço, mas, acostumados com a tutela do antigo fazendeiro assistiram passivamente à destruição do rico patrimônio histórico desconhecido pelos assentados do MST, que pouco se importam com a destruição da fazenda.
“A mostra busca chamar a atenção dos seus moradores sobre a importância da preservação desse valioso patrimônio que está rapidamente sendo dilapidado. As intempéries e a comercialização dos tijolos estão varrendo os monumentos, em pouco tempo só haverá escombros se algo urgente não for feito para conter os desmoronamentos das edificações. Através dessas fotografias busco acelerar esse processo de integração entre os antigos e novos moradores. O rosa representa o amor e o vermelho, a luta”, diz o fotógrafo.
Publicidade
A empresa privada paulista Reserva Cultural, maior conglomerado do gênero no Brasil, de propriedade dos franceses Jean Thomas Bernardini e Laure Bacqué, arrendou da Prefeitura o prédio onde funciona, que é parte integrante do Centro Petrobras de Cinema, obra  do conjunto arquitetônico batizado de Caminho Niemeyer. Elegante e confortável, o Reserva Cultural chegou à Cidade Sorriso com a experiência de doze anos em atividade na Avenida Paulista e com um prêmio nacional de reconhecimento. Seguindo o modelo de sua matriz, a unidade de Niterói conta com seis salas de cinema de alta tecnologia, com capacidade para mais de 1.200 pessoas, e várias lojas, entre livraria, bistrô, hamburgueria, pizzaria, restaurante e café. Além disso, possui um estacionamento fechado e espaços livres para saraus, sessões de autógrafos, música ao vivo, exposições de arte, eventos gastronômicos e atividades infantis no gramado, promovidos pela administração do Reserva.