Manifestantes que ocupavam Câmara dos Vereadores deixam o local

Grupo deixou prédio por volta das 4h desta sexta-feira

Por cadu.bruno

Rio - Os cerca de 20 manifestantes que ocupavam a Câmara dos Vereadores do Rio desde a noite de quinta-feira foram retirados do local. De acordo com a assessoria do órgão, os manifestantes deixaram o prédio por volta das 4h.

A invasão da Câmara ocorreu após uma passeata reunindo cerca de mil pessoas, que seguiu da Candelária à Cinelândia. Um grupo caminhou até a sede da Assembléia Legislativa do Rio (Alerj), na Praça 15. Lá, houve confusão e pancadaria.

Manifestantes e PMs na AlerjErnesto Carriço / Agência O Dia

À noite, o grupo entrou na Câmara, onde nesta sexta-feira começa a CPI dos Ônibus. PMs tentaram entrar e retirar o grupo e houve reação. Gás de pimenta foi usado pelos policiais para tentar dispersar a multidão.

Os manifestantes exigem a manutenção do vereador Eliomar Coelho (Psol) na presidência da Comissão; a substituição dos outros quatro integrantes, que foram contra a instalação da CPI; e a transparência e divulgação de todos os atos.

Manifestantes fazem novo protestoUanderson Fernandes / Agência O Dia

A Câmara de Niterói, na Região Metropolitana, também foi ocupada por cerca de 30 manifestantes na noite de quinta-feira. A decisão foi tomada após uma manifestação que começou na Estação das Barcas. O protesto era contra o governador Sérgio Cabral e o preço das passagens.

O grupo conseguiu permanecer na casa legislativa depois de uma negociação de parlamentares com a polícia. Eles assistiram à sessão gritando palavras de ordem, aplaudindo ou vaiando os discursos dos vereadores. Não houve confronto.

Grupo denuncia agressão dentro da Alerj

Cerca de 22 manifestantes denunciaram agressão dentro da Alerj nesta quinta-feira. Eles protestavam pacificamente contra o governador Sérgio Cabral quando foram expulsos à força por ordem do presidente da Alerj, o deputado Paulo Melo.

Alguns deputados tentaram sair em defesa dos manifestantes, como os deputados Marcelo Freixo (PSOL), Wagner Montes (PSD), Janira Rocha (PSOL) e Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB), mas foram alvos de spray de pimenta, já que estavam junto com os manifestantes na instituição. Por conta da confusão, o deputado Wagner Montes chegou a ter os óculos quebrados.

Manifestantes são observados por PMs no CentroUanderson Fernandes / Agência O Dia

"É inadmissível o que aconteceu. Eram 22 pessoas no plenário, não havia a menor necessidade dessa truculência. Amanhã venho conversar com o chefe de segurança da casa, porque foi um ato político, e esta é uma casa política. O povo não pode ser agredido dentro desta instituição", disse Marcelo Freixo. Ele acrescentou ainda que um dos funcionários de seu gabinete foi agredido com um soco no rosto por seguranças da Alerj.

A deputada Janira Rocha presenciou a confusão e disse que vai falar com o presidente da Alerj. Segundo ela, o deputado Paulo Melo disse que "ocupação é coisa de ditadura e que é pra tirar o povo na base da porrada mesmo".

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia