'Queremos que o presidente da Casa venha negociar conosco', diz manifestante

Acordo feito com a PM permite que grupo fique na Câmara dos Vereadores enquanto estiver no horário de expediente, até às 19h

Por bianca.lobianco

Rio - Cerca de 100 manifestantes ainda estão discutindo quais serão os rumos que o movimento vai tomar dentro do plenário após a invasão da Câmara dos Vereadores. Segundo a socióloga Isabel Lessa, o grupo não recebeu nenhum comunicado oficial da Câmara falando sobre o direito de permanecer ou não no local.

"Queremos que o presidente da Casa, Jorge Felippe (PMDB), venha pessoalmente, ou mande um assessor para negociar conosco a pauta de reivindicações. Entregamos a pauta para a Casa, mas até agora ninguém veio conversar conosco. Estamos dentro do plenário com a luz cortada, sem banheiros e só iremos sair se alguém vir negociar conosco", garantiu.

Um representante da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil, no Rio, (OAB-RJ) negociou com a polícia a presença dos manifestantes no local.

Segundo ele, a PM permite que o grupo fique no Casa enquanto estiver no horário de expediente, até às 19h. Após o combinado, a polícia poderá entrar no local e retirar os manifestantes à força.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia