Reconstituição do caso Amarildo fará o trajeto da viatura que o transportou

Agentes vão refazer trajeto da viatura dos PMs no dia em que o pedreiro desapareceu

Por tabata.uchoa

Rio - A Delegacia de Homicídios (DH) vai realizar neste domingo às 18h a segunda etapa da reconstituição do desaparecimento do pedreiro Amarildo de Souza.

Os agentes vão refazer o trajeto da viatura dos PMs no dia em que o desaparecimento aconteceu.O ponto de encontro será na sede da DH, na Avenida Ministro Ivan Raposo, s/nº, Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. 

Amarildo de Souza está desaparecido desde o dia 14 de julho, após ter sido levado para a sede da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha.

Últimos passos de Amarildo

No dia 1º de setembro, a Polícia Civil subiu a Rocinha fazer a simulação dos últimos passos do pedreiro. A ação, prevista para durar 12 horas, mobilizou grande aparato policial e tentou esclarecer dúvidas e contradições do inquérito. A ação foi comandada pelo delegado da DH, Rivaldo Barbosa, e contou com cem agentes da especializada e da Coordenaria de Recursos Especiais (Core), além de peritos, dois promotores e 30 alunos do curso de delegados. 

Treze policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha — que trabalharam no dia em que o pedreiro desapareceu —, foram chamados a participar. Os familiares do pedreiro também foram chamados, mas não quiseram participar da reconstituição.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia