Informe do DIA: Rock estatal

Festival custou, pelo menos, R$ 12,646 milhões aos cofres públicos

Por thiago.antunes

Rio - O último Rock in Rio custou, pelo menos, R$ 12,646 milhões aos cofres públicos. Este valor será abatido de impostos devidos por patrocinadores do evento que foram beneficiados por isenções fiscais concedidas pelos governos federal e estadual. O Parque dos Atletas, sede do festival, foi cedido pela prefeitura.

Como contrapartida pelo incentivo do Ministério da Cultura — de R$ 9,650 milhões —, a produção do festival propôs distribuir 28.700 ingressos para alunos de escolas públicas, mas, depois, reduziu o total para 4.282.

Rock em Madureira

Em documento enviado ao ministério, a produção do Rock in Rio incluiu, entre as contrapartidas para que obtivesse o benefício, a transmissão, para o Parque Madureira, dos shows ocorridos nos fins de semana. Isto, para democratizar o acesso do público.

Rock privilegiado

Os incentivos foram contestados no ministério. Autor de um parecer alegou que o evento não necessitaria da ajuda e ressaltou que a pré-venda de ingressos para um público restrito (clientes do cartão Itaú) contrariava a lei de incentivo.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia