Nossos bichos: Seu gato está gordo?

Ganho de peso está associado a uma vida sedentária, sem exercícios físicos, e a uma alimentação não balanceada

Por tabata.uchoa

Rio - Quem não se encanta diante de um gatinho que mais parece uma bolinha de pelo? O problema é que, por trás de tanta fofura, está um dos maiores males da vida moderna: a obesidade, que, assim como nos humanos, também afeta o bem estar do animal. No caso dos felinos, o ganho de peso está associado a uma vida sedentária, sem exercícios físicos, e a uma alimentação não balanceada, recheada de petiscos e biscoitos.

A equação que leva à obesidade é simples. Quando os gatos ingerem mais calorias do que o seu gasto energético para se manter, o excesso de comida acaba estocado no corpo na forma de gordura. Nos gatos, a obesidade também está relacionada a alterações hormonais provocadas pela castração.

Obesidade está associada a falta de exercícios físicosRaphael David / Agência O Dia

REFEIÇÃO LIGHT

Castrados aos quatro meses de vida, Nara e Sushi estão acima do peso. Ela está pesando 6 kg e ele, 7 kg. Os dois entraram numa dieta para perder os quilinhos extras. A ração foi substituída pela versão light, duas vezes ao dia, pela manhã e à noite. Até os biscoitos que eles adoram foram reduzidos a três unidades por dia. “Eles são gatos de apartamento. Dormem praticamente o dia todo”, conta a tradutora Érica Carneiro, que passou a dar brinquedos para que Nina e Sushi se movimentem mais.

O peso de um gato pode variar de 3,5 kg a 5 kg, de acordo com a raça e o sexo do animal. Na dúvida, para saber se seu felino está gordinho, observe o animal do alto e veja se consegue ver a cintura do bicho. Outra dica é apalpar o tórax do gatinho para ver se há depósitos de gordura. O dono deve sentir as costelas do animal, mas sem enxergá-las. Nesse caso, estaria abaixo do peso.

O casal Érica e Erick colocou seus gatos Sushi e Nara na dietaRaphael David / Agência O Dia

Ao ser domesticado, os gatos, caçadores por natureza, foram perdendo a agilidade na busca pela presa. Com o alimento garantido, passaram a dormir mais. “Ao ar livre, os gatos interagem com outros animais e ambientes repletos de insetos, folhas que voam com o vento. Ao trazê-los para nossa residência, imaginamos que apenas alimentar e proteger bastam. Potinhos de ração sempre cheios não garantem a felicidade do seu gato”, diz o veterinário Gabriel Dias.

Professor da Clínica de Animais de Companhia da Universidade Castelo Branco, ele explica que gatos domesticados devem ter uma rotina de atividades. Como não saem para passear como cães, o ideal é estimular brincadeiras. “Comece com 15 minutos diários de atividades. Enriqueça o ambiente com arranhadores e outras possibilidades que façam seu gato ser gato, ainda que ele seja esterilizado, e confinado”, aconselha Dias.

MANTENDO O PESO IDEAL

REFEIÇÕES
Para emagrecer ou manter o peso ideal, os gatos devem ter uma rotina para se alimentar. Até seis meses de vida, devem fazer quatro refeições por dia. A partir dessa idade, pode-se reduzir para três refeições diárias. Troque a ração por uma menos calórica e exclua da alimentação os petiscos e as comida dos donos. Lembre-se que a dieta deve ser sempre acompanhada por um médico veterinário.

ATIVIDADE FÍSICA
A alimentação saudável deve vir junto com atividades físicas para queimar calorias. O ideal é brincar com seu gatinho de três a quatro vezes por dia, com duração média de até 15 minutos. Uma das brincadeiras que eles adoram é o uso de lasers, que fazem o animal se deslocar pela casa atrás do ponto luminoso.

BRINCADEIRAS
Recorte vários círculos na tampa da caixa de papelão para pizza. Feche a tampa e dentro dela, coloque uma bolinha de pingue-pongue e deixe o seu gato se divertir com a novidade.

ENFERMIDADES
Além de prejudicar a qualidade de vida do seu felino, a obesidade pode acarretar uma série de doenças respiratórias, ortopédicas, cardiovasculares e diabetes, entre outras.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia