Sindicato dos rodoviários tenta acordo com Rio Ônibus para evitar nova greve

Entidade vai enviar ofício às empresas para evitar que dias não trabalhados sejam descontados

Por paloma.savedra

Rio - Na tentativa de evitar mais uma paralisação dos rodoviários dissidentes, o sindicato da categoria (Sintraturb) vai tentar novo acordo com o Rio Ônibus, pedindo a reavaliação de dois pontos reivindicados pela categoria: aumento da cesta básica (acima dos R$ 140 já definidos) e o não desconto dos dias de greve. O objetivo é que o sindicato patronal dê uma resposta antes da assembleia, que será realizada às 16h desta quinta-feira. 

>>> GALERIA: População sofreu com quatro dias de paralisação no Rio

>>> Greve dos rodoviários do Rio é considerada ilegal e abusiva

A decisão de enviar ofício ao Rio Ônibus foi tomada nesta tarde, depois de uma reunião realizada entre líderes de dissidentes e diretores do Sintraturb. Foi o primeiro encontro dos grupos, desde o racha que ocorreu em março, devido ao acordo feito entre o sindicato e o Rio Ônibus, e não aprovado pelos dissidentes, que discordaram do reajuste salarial de 10%, entre outros pontos.

Diretores do Sindicato dos rodoviários e dissidentes se reúnem pela primeira vez%2C após o racha dos gruposHenrique Moraes / Agência O Dia

Em maio, os dissidentes fizeram quatro paralisações, que geraram grande caos na cidade. O Rio Ônibus moveu processo contra o sindicato - que não comanda o movimento, mas é o representante legal da categoria. E nesta segunda-feira, o Tribunal Regional do Trabalho do Rio (TRT) julgou ilegal e abusiva a greve. 

A decisão proíbe ainda novas paralisações, sob pena de multa diária de R$ 50 mil ao sindicato e autoriza o desconto dos dias não trabalhados pelos funcionários.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia