PMs envolvidos em morte de menor no Sumaré são indiciados por homicídio

Menor que foi liberado pelos policiais foi localizado e confirmou versão de adolescente baleado

Por thiago.antunes

Rio - O delegado Rivaldo Barbosa, da Delegacia de Homicídios (DH), informou na noite desta quarta-feira que os policiais militares Vinicius Lima Vieira e Fábio Magalhães Ferreira serão indiciados por homicídio triplamente qualficado. O inquérito será enviado ao Ministério Público e a prisão preventiva dos cabos já foi pedida.

Os PMs são acusados de levar três menores para o Morro do Sumaré, na Tijuca, em junho e matar um deles. Na ocasião, Mateus Alves dos Santos, 14 anos, foi baleado no local e não resistiu. Outro adolescente, de 15 anos, também foi atingido, mas sobreviveu. Em depoimento, ele afirmou que Vinicius e Fábio conduziram os três até o alto do morro, decidindo liberar um deles após alguns minutos. O rapaz poupado foi deixado pelos policiais na Lapa e sofreu ameaças da dupla. Os PMs estão presos administrativamente na Unidade Prisional (antigo BEP).

Sobrevivente participou de reconstituição do crime%2C semana passadaSeverino Silva / Agência O Dia

Barbosa disse ainda que o menor foi localizado e também prestou depoimento na DH. Ele confirmou a versão do adolescente baleado e será incluído no programa de proteção à testemunhas. Segundo o delegado, o jovem só sobreviveu por contar aos PMs que era conhecido de um homem que trabalha no camelódromo da Uruguaiana, no Centro do Rio, do qual os policiais seriam amigos.

O vídeo que mostra a ação de Vinicius e Fábio foi enviado para o Instituto de Criminalística Carlos Éboli, para averiguar se o equipamento deixou de filmar os PMs quando a viatura foi desligada. A perícia ficará pronta em 30 dias. No entanto, Barbosa afirmou que a falta dos 10 minutos de filmagem não compromete as convicções, pois os agentes estão convictos de que a dupla assassinou um menor e tentou matar os outros. 

Guardas municipais foram chamados

Mais cedo, os dois guardas municipais que apreenderam o menor liberado no Sumaré chegaram na DH para prestar depoimento e identificar o rapaz. Agentes vasculharam a região onde foi abandonado o corpo de Mateus para tentar achar outras vítimas, mas nada foi encontrado.

Os dois guardas municipais estiveram nesta quarta na DH para prestarem depoimento no caso que investiga dois PMs que mataram um menor no Morro do SumaréSeverino Silva / Agência O Dia

Na tarde de terça-feira, os PMs também estiveram na DH, mas deixaram a delegacia sem prestar depoimento. Eles requisitaram formalmente o pedido para serem ouvidos na sexta-feira quando terão tempo hábil para consultar os advogados. O vídeo feito pela viatura mostra quando o cabo Lima para o carro, às 9h31, para que o cabo Magalhães saia da viatura, com um fuzil.

Depois da captura de dois suspeitos e de outro adolescente, levado na viatura porque estava olhando a cena, Lima faz uma proposta ao colega de farda: “Vamos lá para cima?”. Magalhães concorda, com surpreendente naturalidade: “Descarregar a arma um pouquinho”, diz. O colega dele, então, sentencia: “Jogar (os corpos) lá de cima”. “Infelizmente, temos policiais ruins, ligados ao crime, verdadeiros bandidos. Mas a polícia que praticou essa barbárie foi a polícia que os prendeu”, disse, na segunda-feira, o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame.

.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia