Traficantes por trás de golpes em hospitais privados

Polícia descobre elo entre o tráfico e estelionatários

Por thiago.antunes

Rio - A polícia descobriu um possível elo entre traficantes de drogas e estelionatários que aplicam golpes em parentes de pessoas internadas em estado grave em hospitais privados do estado. Na terça-feira, O DIA mostrou que a 93ª DP (Volta Redonda) apura casos ocorridos numa unidade da Unimed na cidade do Sul Fluminense.

Segundo o delegado Antônio Furtado, investigações comprovaram que uma mulher, identificada como Luciana Ramos Alves, titular de conta na Caixa Econômica Federal na cidade de Três Lagoas (MS), onde familiares de paciente depositaram pouco mais de R$ 10 mil para obter suposto remédio para combate ao câncer, é ligada ao tráfico de drogas.

“Ela já foi presa e cumpriu pena por esse tipo de crime. Agora, será enquadrada também em estelionato. Não temos dúvidas da participação do crime organizado no esquema”, afirmou Furtado, que até a semana que vem vai ouvir os 34 funcionários do Hospital da Unimed de plantão no dia 2 de agosto, data de registro do último golpe. A empresa informou que está auxiliando nas investigações.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia