Cristo Redentor tem segredos guardados há 83 anos

Coração do monumento tem detalhes sobre os engenheiros. Site lançado hoje recebe pedidos de orações online

Por thiago.antunes

Rio - Você sabia que dentro do Sagrado Coração de Jesus, no peito do Cristo Redentor, existe um frasco de vidro com a árvore genealógica dos engenheiros reponsáveis pela obra do Monumento? Os milhares de pedaços de pedra-sabão revestidos na estátua também carregam um segredo: no verso das pastilhas, há nomes dos familiares das pessoas que fizeram a colagem do material. Hoje, no aniversário de 83 anos do Cristo, o grande presente é dos cariocas, que passam a contar com um novo site sobre o Monumento, recheado de curiosidades e histórias raras.

No universo digital do Cristo é possível até solicitar uma oração online. O pedido é enviado automaticamente para Capela de Nossa Senhora Aparecida, localizada aos pés do Monumento. “As missas passarão a ser feitas nas intenções destas pessoas que enviarem as mensagens. É uma forma de tornar o Cristo acessível ao mundo todo”, explicou o reitor do Santuário, padre Omar Raposo. Para pedir uma prece, o fiel precisa preencher quatro campos no site (www.cristoredentoroficial.com.br): nome, e-mail, cidade e a mensagem. Também serão aceitos louvores e agradecimentos.

Clique na imagem para ampliar o infográficoArte%3A O Dia

Em 83 anos de existência, a estátua eleita uma das novas sete maravilhas do mundo, numa pesquisa popular em 2007, abriga histórias pouco conhecidas. Para tornar o Cristo mais íntimo dos brasileiros, a Arquidiocese do Rio disponibilizou todo histórico da imagem, desde sua concepção em 1921, na internet. Dados curiosos sobre a extensão da estátua fazem parte das informações. Somente a cabeça do Cristo pesa 30 toneladas e o pé mede 1,35 metro, equivalente a uma sandália tamanho 530. O interior da estátua é composto por 12 pavimentos, sendo o 11º andar, o coração.

De acordo com o historiador Milton Teixeira, especialista em estudos sobre o Cristo Redentor, a escultura religiosa era para ser em bronze. “Houve uma campanha, que durou dez anos, para arrecadar dinheiro para construção da estátua. O valor reunido foi tão grande que queriam criar a imagem em bronze. Na época, o cardeal Dom Joaquim Arcoverde vetou com medo de uma revolução comunista destruir o Cristo”, detalhou Milton Teixeira.

A alternativa dada pelo engenheiro responsável do projeto, o carioca Heitor da Silva Costa, foi o concreto armado e a pedra-sabão, em homenagem às obras do artista Aleijadinho. A construção do Monumento custou 2.500 contos de réis, o que valeria hoje, aproximadamente R$ 9,5 milhões.

Bênção e banda de música

A agenda de comemorações começa cedo hoje no alto do Morro do Corcovado. A partir das 8h, haverá bênção aos visitantes e às 10h, apresentação musical da Banda Sarca. A missa de aniversário será realizada uma hora depois, seguida pela oração do Ângelus, com a peregrinação da imagem de Nossa Senhora Aparecida. Após as preces, um bolo será oferecido.

Por causa da visibilidade que tem nos aniversários, a pequena capela de Nossa Senhora, aos pés do Monumento, não tem mais vaga para batizado e casamento neste ano. A média semanal é de seis eventos na igreja. “O interesse pelas celebrações no Santuário aumentam a cada ano e as festas são um dos motivos por esta divulgação”, revelou o padre Omar, que admitiu ficar emocionado em todas as cerimônias.

Projeto de monitoramento científico está em andamento

Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) há seis anos, o Cristo Redentor ainda aguarda a implantação de um projeto de monitoramento científico. O programa, que foi definido pela Arquidiocese e já aprovado pelo Instituto, seria uma forma de monitorar o estado de conservação do Monumento. “A Mitra (Arquiepiscopal do Rio, responsável pelos patrimônios religiosos) está aguardando patrocínio para concretizar o projeto”, informou a arquiteta do Iphan, Catherine Gallois.

O monitoramento será feito por consultores da área de Ciência da Conservação, com apoio do Centro de Tecnologia Mineral. “Este programa é importante para reunir dados sobre a conservação da estátua. Em vez de investir em uma obras de reforma, o ideal é ir resolvendo os problemas de manutenção a medida em que eles apareçam”, completou. A última restauração do Cristo ocorreu há quatro anos, com a recolocação das pedras-sabão.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia