Dupla que pichou monumento de Zumbi pode pegar 10 anos de prisão

Os dois disseram, em depoimento, desconhecer simbolismo da suástica

Por thiago.antunes

Rio - Acusados de pichar o monumento de Zumbi dos Palmares no último domingo, Alessandro Nascimento, o Demo, de 30 anos, e Cláudio Henrique da Silva, de 37, o Casão, prestaram depoimento nesta terça-feira na Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA). A dupla, que mostrou-se arrependida e disse desconhecer o significado da cruz suástica, não ficará presa, mas terá que limpar pichações em outros pontos da cidade cujas autorias foram comprovadas pela polícia.

Suspeitos tiraram fotografias diante do monumento pichadoReprodução

“Erramos com esse símbolo sem saber na verdade o que significava. Não sei dizer o que é o nazismo, só sei que mataram muita gente. Sobre Zumbi, estudei pouco, só sei que era um cara gente boa”, disse Cláudio, eletricista de automóveis. A dupla compareceu à delegacia espontâneamente.

Eles podem pegar até dez anos de prisão, já que foram indiciados por pichação de símbolo nazista e associação criminosa. De acordo com o delegado Fernando Magalhães, ambos já responderam pelo crime de pichação na área da 22ª DP (Penha). Na próxima terça-feira, agentes acompanham os pichadores até alguns pontos da cidade onde foram identificadas símbolos semelhantes aos da estátua.

“Pelo que vimos na internet, ao menos outros cinco locais foram pichados por eles. E eles se colocaram à disposição para limpar. Nos outros locais eles picharam só a palavra “xarpi” (“pixar” ao contrário). Disseram ainda que não há motivação, que foi coisa de adrenalina. Mas, como todos os pichadores, eles fazem parte de algum grupo”, informou o delegado, acrescentando que ambos estão sendo investigados por fazer parte do grupo “5 estrelas”.

Cláudio, que é marteleiro de construção civil, e Alessandro só foram descobertos por posarem para fotos em frente à estátua. Mas apenas um deles publicou as imagens na rede social. Uma mulher, ligada a Alessandro, escreveu: “Maridão e titio machucaram hoje o Zumbi dos Palmares, no Centro da cidade”.

“Não é orgulho, é coisa burra, mas não sabemos explicar os motivos. Não tivemos intenção de agredir alguma etnia, seria controverso, já que somos negros. Aquela suástica no meio da pichação significa um símbolo de rebeldia. Não é para agredir nenhuma raça”, completou Cláudio. À polícia, ambos contaram que estavam bebendo na Lapa, quando decidiram ir em casa, na Penha, de moto, e pegar os equipamentos para pichar.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia