Informe do DIA: Patrocinadores do Rock in Rio 2015 terão benefícios milionários

Abatimento em impostos passa dos R$ 18 milhões; valor é 55% maior que o autorizado na última edição do evento

Por nicolas.satriano

Rio - Empresas que bancarem o Rock in Rio este ano poderão abater até R$ 18,317 milhões em impostos. O valor, aprovado pelo Ministério da Cultura (MinC) para o projeto do empresário Roberto Medina, via Lei Rouanet, é 55% maior que o autorizado na última edição do evento, em 2013.

Medina é citado em lista que inclui nomes de brasileiros com contas bancárias no HSBC da Suíça entre 2006 e 2007. Mas o MinC não vê problema no patrocínio — diz que cabe à Receita Federal investigar eventuais irregularidades.

Outros anos
Em 2013, a Rock World, empresa do publicitário, captou R$ 9,650 milhões para o Rock in Rio: o MinC aprovara R$ 11,795 milhões. Responsável pela organização do festival em 2011, a Dream Factory, de que Medina é sócio, levantou R$ 7,487 milhões.

Dinheiro jogado fora
Contrato da Assembleia Legislativa com a Arqhos Consultoria em 2013 garantiu que a empresa recebesse R$ 1,555 milhão para elaborar o projeto do que seria o novo prédio da Alerj na Cidade Nova. A construção, que incluía até heliponto, era um desejo do ex-presidente da Casa Paulo Melo. O atual, Jorge Picciani, descartou a possibilidade pelo alto custo. No fim, só quem se deu bem foi a Arqhos.

A multa da PM
De janeiro a novembro de 2014 o Detran cancelou 33 mil multas de trânsito aplicadas por policiais militares. A maioria por erro no preenchimento dos autos. O deputado estadual Jorge Felippe Neto quer proibir a aplicação de multas pela PM. “Ela tem que combater crimes. Não é o caso de IPVA atrasado ou de um pneu careca”, diz.

Hermanos
Eduardo Paes embarca hoje à noite para Buenos Aires, onde se encontrará com 15 prefeitos de cidades latino-americanas. O grupo assinará, amanhã, um pacto que prevê ações para a redução do efeito estufa e a diminuição do impacto causado por mudanças climáticas.

Casa X Escola
Para fazer caixa, a prefeitura venderá por R$ 10 milhões terreno antes destinado à construção de escola na Av. Engenheiro Mário Fernandes Guedes, na Barra. No local, poderá ser construída uma casa.

Fernando Molica está de férias

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia