Cartunista acusa Igreja Universal de censura após charge polêmica

Vitor Teixeira fez uma crítica ao grupo Gladiadores do Altar

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - O cartunista Vitor Teixeira acusou a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) de censura, devido a uma notificação extrajudicial emitida por ela. No documento, a Universal cobra dele e do Facebook a retirada do ar de uma charge que mostrava um ‘gladiador’ perfurando uma mãe de santo com uma espada.

A charge se espalhou rapidamente pelas redes sociais e faz referência ao polêmico grupo Gladiadores do Altar, que está sendo alvo de investigação do Ministério Público Federal.

Charge do artista se espalhou rapidamente pela internetReprodução Facebook

“Eles tiraram da internet todos os vídeos dos Gladiadores. Se a minha charge era agressiva, a imagem daquela milícia verde-oliva de braço levantado num salão é muito mais. Eu sou iniciante neste assunto (intolerância religiosa), mas tem muita gente da umbanda e do candomblé que sofre com isso há muito tempo. A causa é mais do que legítima”, comentou Vitor Teixeira.

O cartunista disse que apagou a charge após um pedido informal feito pela Igreja Universal. Mas decidiu protestar porque, segundo ele, a IURD ainda assim decidiu pedir a retirada de sua página do ar.

Através de nota, a Universal reiterou que “a publicação incitava o ódio contra as religiões de matriz africana e contra a própria Universal” e que o “chargista apagou a postagem, certamente por reconhecer o erro que cometeu”.

Vitor Teixeira contestou a afirmação e acrescentou: “Eles têm o direito de não gostar, mas não de cercear minha arte.”

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia