Dilma determina à Casa Civil que estude corte no número de ministérios

Presidenta tentaria mostrar sua disposição de cortar despesas no governo

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - Dilma Rousseff determinou à Casa Civil que estude um corte no número de ministérios. A medida é uma reação à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) apresentada pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), que estabelece um teto de 20 ministérios — atualmente são 39.

A adoção da medida seria uma forma de a presidenta se antecipar a uma eventual aprovação da PEC, que foi adotada pelo PMDB. Com isso, Dilma tentaria mostrar sua disposição de cortar despesas no governo.

Olho nas ruas

Na avaliação do Planalto, o corte teria também uma boa repercussão na opinião pública.

Demissão

Casada com o presidente da Assembleia Legislativa, Jorge Picciani, a administradora Hortência da Silva Oliveira Picciani foi trabalhar na iniciativa privada e pediu demissão do cargo que ocupava no gabinete do conselheiro Aloysio Neves no Tribunal de Contas do Estado.

Contratação

A vaga foi preenchida pela irmã dela, a estudante de engenharia Lizandra da Silva Oliveira. Neves diz que pediu uma sugestão a Hortência, que indicou a irmã. O salário é de R$ 9.547.

Em família

Cunhada do ex-governador Sérgio Cabral, Nusia Ancelmo Mansur também tem cargo de confiança no mesmo gabinete no TCE. Ela recebe R$ 17.256 mensais. 

Indeferidos

A juíza Maria do Carmo Freitas Ribeiro, da 19ª Vara Federal, indeferiu duas ações — uma delas, do Ministério Público Federal — contra a reforma do Maracanã. Abertos em 2011, os processos pediam a suspensão de algumas obras e a reconstrução da marquise do estádio.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia