Motoristas de vans ficam a ver navios

Prefeitura licita novas linhas na Zona Norte, mas condutores reclamam que não há passageiros nos trajetos

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - Desde quando as linhas de vans da Zona Norte foram licitadas, há quatro meses, motoristas permissionários estão contabilizando prejuízos. Os novos itinerários, de aproximadamente seis quilômetros, não têm movimento de passageiros. A prefeitura chegou a autorizar a circulação de veículos em outras rotas, mas há uma semana voltou atrás e obrigou o retorno dos motoristas às linhas licitadas. A Coordenadoria Especial de Transporte Complementar admite problemas nos itinerários, mas não prevê alterações.

Motorista de van há 17 anos, João Fortunato, de 62 anos, conseguiu a permissão da prefeitura para circular de Vila Valqueire a Marechal Hermes. Nos quase 15 minutos de viagem é raro ver passageiro. “Trabalho dez horas por dia e a média é de dois clientes por semana. Estou pagando para trabalhar. Me colocaram para rodar em ruas residenciais por onde não passa ninguém”, apontou João, que, por mês, tem uma despesa de R$ 2 mil, com a prestação do veículo e sua manutenção.

Motoristas que tinham conseguido alterações nos itinerários foram surpreendidos com nova proibiçãoCarlo Wrede / Agência O Dia

Uma semana após a licitação, quando os motoristas começaram a trabalhar em itinerários estabelecidos pela prefeitura, condutores fizeram manifestação na sede municipal contra a nova rota. Na ocasião, o prefeito Eduardo Paes admitiu que as viagens deveriam ser rentáveis, como prevê o contrato, e autorizou a circulação em ruas com mais movimento. No entanto, na semana passada, através de um e-mail, os motoristas foram surpreendidos com a suspensão das viagens. “Não teve conversa. Queremos trabalhar, mas está difícil”, reclamou Marcelo Silva, 39, que faz a linha Osvaldo Cruz - Vila Valqueire, e estava viajando na rota Madureira - Marechal Hermes, considerada mais rentável.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia