Professora se aposenta e alunos ficam sem aulas de Língua Portuguesa na Tijuca

Eles foram liberados mais cedo pela Escola Municipal Laudimia Trotta. Pais foram surpreendidos com comunicado

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - Com pouco mais de 30 dias de aulas este ano, alunos de pelo menos duas turmas da Escola Municipal Laudimia Trotta, na Tijuca, na Zona Norte, estão sem a principal disciplina do currículo escolar: a Língua Portuguesa. E o comunicado, informando a aposentadoria da professora, foi dado após o fim de uma das aulas, nesta segunda-feira, fazendo com que as crianças e adolescentes saíssem mais cedo e pegando os pais de surpresa. Curiosamente, a nota contém um erro de português; a palavra portanto está escrita de forma separada, sendo grafada como 'por tanto'.

"Foi avisado ontem (segunda-feira), com uma circular entregue aos alunos. Fui pega de surpresa. Meu filho disse que saiu mais cedo porque a professora de português tinha se aposentado", disse Jeane Santos Lopes, que tem um filho de 11 anos que cursa o sétimo ano do ensino fundamental na unidade.

A representante comercial criticou a repentina aposentadoria da professora e a falta de comunicação da direção da escola, que não informou com antecedência e nem providenciou de imediato um substituto.

"Um descaso das pessoas que dirigem a escola. Não tem lógica não ter uma substituta. O ensino já é fraco, ainda vão ficar sem aulas de português? Como é que uma criança se forma desta forma e concorre a uma vaga em uma universidade?", reclamou. 

Alunos foram informados nesta segunda-feira que estão sem aulas de Língua PortuguesaReprodução

De acordo com a circular, sem as aulas de português, o turno que começa às 7h30 e termina às 12h, terminará 10h30 às segundas-feiras e só terá início às 9h nas quartas-feiras por falta dos dois tempos da disciplina.

Jeane teme pelo futuro do filho, que morava em Portugal e estuda há três anos no Rio, dois deles na Laudimia Trotta. "Ele veio de Portugal, estudava música, tinha um bom ensino. Meu filho tira boas notas, mas se tivesse um programa de incentivo as notas seriam melhores. A escola não passa nem um dever de casa", disse.

Procurada, a Secretaria Municipal de Educação se limitou a dizer que a 2ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), responsável pelas unidades da região, está ciente do caso e que "vem tomando medidas para melhor atender aos alunos da escola."

A secretaria também informou que "pontualmente, unidades escolares podem apresentar falta de profissionais por motivos de aposentadoria, licenças ou transferências" e que, quando identificadas, buscam repor os quadros. Entretanto, a SME não informou quando um substituto entrará no lugar da professora aposentada. Também não foi informado o número de turmas e alunos atingidos.

O órgão informou que, desde 2009, mais de 23 mil novos professores foram convocados para atuar em toda rede municipal. Este ano, cerca de dois mil professores foram convocados ou migraram para a jornada de 40h com objetivo de aumentar o tempo de permanência em cada unidade e melhor atender aos alunos das escolas municipais.??

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia