Belford Roxo lança pacote de obras

'Resolvi replanejar a cidade, elaborar projetos', disse o prefeito

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - Dos 220 mil imóveis de Belford Roxo, apenas 6 mil popossuem registro. Com isso, 70% da população não pagam IPTU. A estimativa é do prefeito Dennis Dauttmam (PCdoB) que, apesar da dificuldade com a arrecadação própria, tem obtido recursos dos governos federal e estadual para tocar obras importantes para o município da Baixada Fluminense. O resultado é um novo pacote de obras, de R$ 70 milhões, que vai mudar a cara de sete bairros da cidade.

Para o prefeito, o município, que tem 100% de área urbana, cresceu desordenadamente, sem planejamento, e hoje tem carência em diversas áreas, mas sofre com escassas fontes de recursos para sanar os problemas. “Temos poucas indústrias, quase nenhuma fonte de arrecadação e dívidas herdadas a pagar. Falta recursos próprios para investir em obras e melhorias para a população. Por isso, resolvi replanejar a cidade, elaborar projetos e pedir ajuda a outras instâncias do poder público. Com os recursos vindos de fora, é que tudo está começando a clarear. Temos muitas coisas positivas para começar a acontecer”, disse Dauttmam, ao fazer um balanço de seu governo.

As novas intervenções compreendem a reforma e modernização de duas praças no Centro e uma no bairro Wona, a reconstrução da Rodoviária do Lote XV, a uma nova quadra poliesportiva e uma área de lazer no Vilar Novo e a reforma da Vila Olímpica, além de obras de urbanização e saneamento básico de São Leopoldo e Shangrilá. O prefeito aguarda ainda a chegada de recursos para iniciar a reforma da Avenida Joaquim da Costa Lima, a reabertura da usina de asfalto da cidade e a reurbanização completa do Centro.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia