Reforma promovida por Dilma conta com fusões entre órgãos do governo

Proposta traz o risco de gerar novos problemas na base

Por nicolas.satriano

Rio - A reforma que Dilma Rousseff vai promover na administração federal irá além da diminuição de ministérios. A presidenta decidiu que o pacote a ser anunciado ainda nesta semana incluirá também fusões entre órgãos do governo como departamentos e empresas públicas. 

A proposta, criada para ressaltar o compromisso com a redução de despesas, traz o risco de gerar novos problemas na base. Nomeações para órgãos federais de segundo escalão são muito disputadas pelos partidos.

Profecia
A ala peemedebista favorável ao rompimento com Dilma Rousseff se divertia ontem com o filme em cartaz no Cine Planalto, em Brasília: ‘A despedida’.

Rendição ao ‘tiro’
Em vez de fiscalizar infratores, a prefeitura oficializou, durante o Rock in Rio, a prática de cobrança fora do taxímetro. Motoristas de táxi estão autorizados a cobrar cerca de 50% a mais por corridas iniciadas na Cidade das Artes. Ir até o Leblon custa R$ 80; um pulinho no Recreio, ali ao lado, sai por R$ 65.

Tarifa metaleira
Em 2013, a passagem de ida e volta em ônibus com ar-condicionado até a Cidade do Rock custava R$ 50. Corrigida pela inflação, a tarifa seria R$ 58,47, mas pulou para R$ 70.

A guerra do sushi
O restaurante japonês Haruko, no Centro, é alvo de uma representação do Procon estadual. Isto, por conta da prática de cobrar R$ 2,50 por peça não consumida no rodízio.

Menos conflitos
A OAB-RJ criou uma comissão para mediar conflitos entre cidadãos com seus advogados ou com a Justiça. O serviço da Comissão de Defesa do Jurisdicionado é gratuito e pode ser solicitado pelo e-mail cdj@oabrj.org.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia