Major Fabiana: Brasil acima de tudo

Realizações dos mais de 300 dias de gestão mostram que ainda há uma longa estrada a ser trilhada,

Por Major Fabiana*

Major Fabiana é deputada federal pelo PSL-RJ, vice-líder do Governo Bolsonaro na Câmara.
Major Fabiana é deputada federal pelo PSL-RJ, vice-líder do Governo Bolsonaro na Câmara. -
Em se tratando de uma nação como o Brasil, “arrumar a casa” requer coragem. E não há como negar que essa é uma das principais características do atual presidente Jair Messias Bolsonaro e seu governo. As realizações dos mais de 300 dias de gestão mostram que ainda há uma longa estrada a ser trilhada, mas estamos no caminho certo.

A promulgação da Reforma da Previdência é o exemplo mais emblemático. Mostrou não somente o esforço do governo, mas de todas as esferas de poder, para tornar reais mudanças há muito tempo acalentadas e que nortearão o futuro do país e de milhares de brasileiros. Mais do que isso, representa a primeira reforma de muitas que estão por vir e que marcarão a nossa história pelo compromisso com o progresso, acima de tudo.

Na área de Segurança Pública, o Pacote Anticrime também representa um marco. Pela primeira vez, há discussão real sobre leis para rever práticas ultrapassadas, fundamental no combate à violência. O Ministério da Justiça e Segurança Pública propõe alterar 14 leis, como o Código Penal, o Código de Processo Penal, a Lei de Execução Penal, a Lei de Crimes Hediondos e o Código Eleitoral. Estamos em vias de criar meios de aprimorar a ação dos diversos órgãos de segurança na luta contra os crimes violentos, as organizações criminosas e a corrupção. É a nossa chance de fazer mais justiça e tirar do povo o fardo pesado que a violência causa diariamente. Junto a isso, os números já mostram a queda nos homicídios em todo o país e o aumento das apreensões de drogas e armas.

Na Saúde, o governo Bolsonaro concedeu R$ 1 bilhão de linha de crédito para hospitais filantrópicos, entidades responsáveis pela metade dos atendimentos e procedimentos hospitalares de média e alta complexidade de todo o Brasil, parceiras fundamentais da rede complementar do SUS. Outro avanço foi praticamente zerar os impostos de importação de 17 itens, entre eles medicamentos para pacientes com câncer e HIV.

Na Educação, o programa de criação das escolas cívico-militares conseguiu a adesão total em três regiões do país: Centro-Oeste, Norte e Sul. Isso sem contar o incentivo ao Ensino Técnico com o programa Novos Caminhos, um meio de promover a rápida inserção de jovens no mercado de trabalho.

A gestão pública responsável foi uma mola mestra. Além de valorizar sua equipe técnica, extinguiu centenas de conselhos de administração pública, antigos cabides de emprego, e acabou com 21 mil cargos e comissões, gerando economia de R$ 195 milhões anuais.

Reafirmando o combate à corrupção, o governo abriu a caixa-preta do BNDES, dando fim ao ciclo de empréstimos bilionários a países que não podem cumprir acordos com o dinheiro público.

Além de bater a meta do primeiro ano para privatizações e concessões, gerando mais eficiência e investimentos em áreas prioritárias, o governo criou a MP da Liberdade Econômica, possibilitando ao pequeno investidor menos fiscalização, burocracia e gastos, e já se prepara para se concentrar na reforma do Pacto Federativo, visando equilibrar o orçamento dos estados e municípios, e na Reforma Administrativa, dois marcos dessa gestão.

É uma caminhada longa para tão pouco tempo de estrada. Mas ainda há fôlego de sobra. Vamos em frente. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos.


* É deputada federal pelo PSL-RJ, vice-líder do Governo Bolsonaro na Câmara.

Comentários