Isa Colli: Fortalecimento da Língua Portuguesa vai muito além de uma nova data no calendário internacional

É importante lembrar que, em números, a língua portuguesa atualmente é falada por mais de 265 milhões de pessoas

Por Isa Colli*

Livro de Isa Colli sobre alimentação saudável foi 'case' do evento
Livro de Isa Colli sobre alimentação saudável foi 'case' do evento -
Quem luta pela valorização do idioma português comemora a recente decisão da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) de incluir no calendário internacional a data de 5 de maio como Dia Mundial da Língua Portuguesa. Esse reconhecimento da ONU acontece 10 anos após a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) ter aprovado uma resolução consagrando esse dia como o da Língua e Cultura Portuguesas. Mesmo com 10 anos de atraso, a ratificação da data é importante porque é uma forma de fortalecer, para além do idioma, os laços que unem os nove países lusófonos (Brasil, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Portugal, Angola, Cabo Verde, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste). É importante lembrar que, em números, a língua portuguesa atualmente é falada por mais de 265 milhões de pessoas.

Na área cultural, há iniciativas interessantes de integração entre os nove países, como a Galeria da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA), sediada em Lisboa. Uma exposição recente naquele espaço reuniu mais de 50 artistas de diferentes países. A mostra teve o objetivo nobre de angariar fundos para ajudar a erradicar a fome nos países que falam português.

Outro exemplo concreto da integração é o evento dos Jogos Desportivos da CPLP, que terá sua 12ª edição no Timor Leste, em 2020.

As conquistas são inegáveis, mas é preciso avançar para que os nove países tenham uma integração de fato. Artistas criticam, por exemplo, os entraves para a obtenção de vistos nos países membros. Essa barreira dificulta o intercâmbio cultural, uma vez que muitos artistas não conseguem levar suas obras para exposições internacionais.

Embora os chefes de Estado e de Governo da CPLP se reúnam ordinariamente em conferências, também há críticas de omissão em algumas questões, como na crise política na Guiné-Bissau e a violação dos direitos humanos na Guiné Equatorial.

Estudiosos apontam, ainda, a necessidade de se buscar propostas conjuntas para resolução de problemas enfrentados pelos jovens em questões relacionadas à educação, emprego e integração social. Outro objetivo que me parece fundamental é que as nações com menores dificuldades financeiras apoiem os demais países em situação mais vulnerável, principalmente nas áreas da saúde e do ensino.

Que essa data de 5 de maio represente muito mais que uma nova comemoração no calendário mundial. Que ela seja o ponto de partida para fortalecer, definitivamente, os países de Língua Portuguesa diante da comunidade internacional.

*Isa Colli é jornalista e escritora
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Livro de Isa Colli sobre alimentação saudável foi 'case' do evento Divulgação
Isa Colli Divulgação

Comentários