Delegacia de Rio das Ostras é campeã em produtividade

Um dos destaques da instituição, é o compromisso com a Lei Maria da Penha

Por Ana Clara Menezes

Um dos destaques da instituição, é o compromisso com a Lei Maria da Penha
Um dos destaques da instituição, é o compromisso com a Lei Maria da Penha -
Rio das Ostras - A 128ª Delegacia Policial de Rio das Ostras foi classificada como primeira colocada no índice de produtividade no combate à violência entre as delegacias de médio porte, no interior do Rio, e em segundo lugar entre todas as delegacias do estado, atrás apenas, da Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM), na capital, referente ao ano de 2019.
Para comentar tal protagonismo, o delegado titular de Rio das Ostras, Dr. Ronaldo Cavalcante, concedeu uma entrevista exclusiva ao O Dia, explicando a mensuração e atividades desenvolvidas na cidade. Ronaldo comentou que consta como produtividade todo inquérito judicial concluído com êxito, que inclui: captação de provas, identificação, prisão e apreensão dos autores dos crimes. Entre os inquéritos realizados em 2019, o delegado destacou dois, de alta relevância midiática e popular:
A ‘Operação Toy’ realizada em parceria com o MPRJ, no mês de março, prendeu e apreendeu 38 envolvidos com tráfico de drogas, desbancando a organização criminosa, conhecida como Terceiro Comando, nos bairros Nova Cidade, Ilha, Liberdade, Mafu, Gelson e Centro.
O caso do desaparecimento da jovem Jennifer Tifany, de 23 anos, que desapareceu em 2014, mas só teve o inquérito aberto em 2017, quando uma testemunha revelou ter visto companheiro dela e o irmão dele, que é PM, sujos de sangue. Os suspeitos foram presos, em maio, pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver.
O mais recente inquérito bem-sucedido, foi a prisão do chaveiro Cosme Luiz dos Santos (64), procurado pela polícia por homicídio doloso, acusado de atropelar e matar o jovem David Pires da Silva (20), após a vítima esbarrar no retrovisor do seu carro, em fevereiro de 2019. O autor do crime foi preso em Cuiabá – MT, na última sexta-feira e aguarda transferência para o Rio de Janeiro, onde deverá cumprir pena de 30 anos de reclusão.
Outro destaque da instituição, é o compromisso com a Lei 11.340/2006 (Lei Maria da Penha). “Nosso prazo para resolver denúncias da Maria da Penha é menor que 30 dias. Nosso objetivo é zelar pela vida e pela vida das mulheres, que precisam quebrar barreiras para denunciar. Então, entendemos a vulnerabilidade da situação e agimos o mais rápido possível”, comentou Ronaldo, que está na sua segunda passagem pela 128ª DP – Rio das Ostras.
“Atuei como delegado adjunto em 2015 e voltei como titular em 2019, mas destaco o trabalho incansável dos 30 policiais que se empenham todos os dias nesta unidade. A faxineira, o atendente, o administrativo e os agentes de busca e apreensão, pois o trabalho é um só. Agradeço o assistente Dr. Carmelo Santa Lúcia, e o adjunto Dr. Jorge Maranhão, pela dedicação, seriedade e profissionalismo, muitas das vezes, abrindo mão de momentos pessoais para doar-se a vocação. O destaque na classificação de produtividade é consequência e resposta do trabalho de todos. Pretendemos melhorar ainda mais em 2020”, pontuo Cavalcante.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Um dos destaques da instituição, é o compromisso com a Lei Maria da Penha Divulgação/Thiago Figueiredo
Um dos destaques da instituição, é o compromisso com a Lei Maria da Penha Divulgação/Thiago Figueiredo
Um dos destaques da instituição, é o compromisso com a Lei Maria da Penha Divulgação/Thiago Figueiredo

Comentários