Trabalho de combate ao Aedes Aegypti é intensificado no município

São 75 agentes de combate às endemias só nas visitas domiciliares

Por Divulgação

Segundo dados da Vigilância em Saúde de Rio das Ostras, houve uma queda significativa dos casos de arboviroses entre 2019 e 2020
Segundo dados da Vigilância em Saúde de Rio das Ostras, houve uma queda significativa dos casos de arboviroses entre 2019 e 2020 -
Rio das Ostras - Um trabalho muito importante de Saúde Pública está se intensificando em Rio das Ostras. Trata-se do combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika. Equipes da Vigilância em Saúde realizam ações preventivas e educativas em áreas urbanas do Município, conscientizando a população a respeito dos cuidados e também sobre a importância de receber os agentes nas residências.

De acordo com a chefe de divisão da Vigilância Ambiental, Josineide Gomes Cavalcanti, as equipes recebem um calendário epidemiológico e, por meio dele, também realizam a cada dois meses, o Levantamento Rápido de Índices para o Aedes Aegypti – LIRAa, que é um programa do Estado.

“O Município é dividido em seis áreas e cada uma delas possui de 9 a 14 localidades. Este ano teremos quatro LIRAas e o primeiro começa na próxima semana. Dentro desse trabalho, realizamos as vistas domiciliares, identificação de possíveis criadouros, orientação de combate ao vetor e eliminação de depósitos. A partir dessa ação, os focos encontrados seguem para análise em laboratório para identificação do Aedes”, explicou Josineide.

Em Rio das Ostras, somente a localidade do Âncora possui mais de 13 mil imóveis. Já nas localidades mais distantes como Cantagalo, Mar do Norte e Rocha Leão, o trabalho é feito por meio de mutirões.

Para a moradora de Nova Aliança, Hideobranda Leite Cavalcanti dos Santos, que recebeu uma equipe da Vigilância em sua residência nesta quarta-feira, dia 29, essas ações são de extrema importância para a população.

“Sempre recebo os agentes em casa e acho as orientações importantes, pois muitos não sabem como evitar os focos do mosquito. Moro sozinha e tenho que cuidar pela minha saúde. Acho que deveria ter uma união maior dos moradores nesse combate”, ressaltou.

REGISTROS – Segundo dados da Vigilância em Saúde de Rio das Ostras, houve uma queda significativa dos casos de arboviroses entre 2019 e 2020. Este ano foram registrados cinco casos suspeitos de Dengue, um de Zika e nenhum de Chikungunya. Já nas três primeiras semanas de 2019, foram 18 casos de Dengue, 20 de Chikungunya e 0 de Zika.

O coordenador da Vigilância em Saúde, Marcelo Barelli, disse que frente à situação epidemiológica o Município tem como objetivo equacionar o Plano Municipal de Controle de Arboviroses, no intuito de manter os índices e incidências numa margem satisfatória.

“Além do empenho de todas equipes, as ações são intensificadas graças a chegada de novos agentes. Hoje são 75 agentes de combate às endemias só nas visitas domiciliares e também temos a parceria de agentes que atuam em todas as unidades de saúde, facilitando o trabalho de deslocamento”, destacou Barelli.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários