Criminosos invadem fábrica de automóveis no Sul Fluminense

Homens encapuzados renderam os vigilantes, explodiram um caixa eletrônico e fugiram com o dinheiro

Por karilayn.areias

Fábrica ficou destruída após invasão de criminososWhatsApp O DIA (98762-8248)

Rio - Com cenas típicas de um filme de ação, pelo menos dez bandidos encapuzados e armados de fuzis invadiram, na madrugada desta quarta-feira, a fábrica de carros PSA Peugeot Citroen, em Porto Real, no Sul Fluminense, onde explodiram seis caixas eletrônicos do Santander e HSBC com dinamites. Na fuga, levando parte do dinheiro, a quadrilha trocou tiros com policiais do 37º BPM (Resende) na Via Dutra, mas conseguiu fugir no sentido Rio.

Houve correria e pânico entre os 100 funcionários de plantão e quem trafegava pela região. Não houve feridos, apesar da violência dos criminosos, que chegaram, porém, a agredir um vigilante a coronhadas. Os principais acessos à pacata cidade ficaram fechados até seis horas da manhã, mas ninguém foi preso.


Há pouco mais de um mês, um bando, usando a mesma tática, também explodiu dois caixas eletrônicos dentro de uma fábrica de caminhões do Pólo Industrial de Resende.

Na Peugeot, tudo começou às 4h da manhã, quando os ladrões, em um Ford Ecosport branco e uma caminhonete, chegaram à unidade, rendendo quatro vigilantes. Em seguida, foram para os setores de chaparia e pintura, onde estavam os caixas. Os reféns foram obrigados a se deitar no chão e, às 4h20, uma forte explosão foi ouvida em toda a fábrica, conforme testemunhas. Segundos depois, outros cinco fortes estampidos se sucederam.

“Com muita fumaça, sem entender o que estava ocorrendo, eu e mais uns dez colegas de trabalho, inclusive mulheres, tentamos chegar aos pontos de emergências, indicados para quando ocorrer, por ventura, algum acidente grave. Mas as portas estavam trancadas. Sem saber, corremos em direção aos bandidos. Quando percebemos que se tratavam de homens com capuz e armas, nos abrigamos em uma parte da fábrica que estava escura e isolada. Sem conhecer a planta, os criminosos desistiram de vir atrás de nós. Foi a salvação”, contou um dos metalúrgicos.

Por conta do assalto, a produção, que alcança 20 carros de três modelos por hora, foi interrompida por quase duas horas. Em notas à imprensa, a Peugeot e as duas instituições bancárias limitaram-se a informar que “o fato está sendo apurado e as providências cabíveis estão sendo tomadas junto às autoridades competentes”. O valor roubado não foi revelado. De acordo com funcionários, os caixas tinham sido abastecidos na noite anterior.

Tiro furou pneu de carro da PM

Uma equipe de policiais militares do 37º BPM (Resende) perseguiu, por mais de três quilômetros, os veículos dos bandidos. A viatura, porém, já na Via Dutra, teve um dos pneus dianteiros estourados a tiros, o que impediu os policias de continuarem e os bandidos fugiram. No meio da manhã, o Ecosport foi achado incendiado em Getulândia, distrito de Rio Claro, na estrada que liga Barra Mansa a Angra dos Reis. Em nota, a Polícia Civil informou que agentes da 100ª DP (Porto Real) tentam identificar os autores por câmeras.

Um membro da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes da Peugeot criticou a volta dos funcionários ao trabalho, ainda com a polícia fazendo varreduras na fábrica. “Foi uma irresponsabilidade. Poderiam ter deixado dinamites intactas no local. Todos estavam abalados ainda.”

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia