Mais Lidas

Vídeo mostra crueldade de bandidos contra policial morto no Méier

Um dos suspeitos voltou ao local do crime, arrastou a vítima para fora do carro e atirou na cabeça dela

Por thiago.antunes

Rio - Imagens analisadas pela Divisão de Homicídios a respeito da morte do policial civil Fabiano Ribeiro Bosada Rodrigues, 33 anos, da Core (Coordenadoria de Recursos Especiais), mostram a crueldade dos seus assassinos.

Os vídeos apontam que depois da troca de tiros, um dos suspeitos voltou ao local do crime, arrastou Fabiano para fora do carro e atirou na cabeça dele. Pelo menos seis assaltantes participaram da ação, na noite da última quarta-feira. A principal linha de investigação é tentativa de latrocínio (roubo seguido de morte). “A quantidade de tiros ainda não posso confirmar. Mas eles (os assaltantes) voltaram”, afirmou o delegado Brenno Carnavale, responsável pela investigação.


Fabiano estava na Core, unidade de elite da Civil, há sete anos e levava sua namorada, identificada como Ana Carolina, para casa, no Méier. Os dois haviam jantado em um restaurante japonês momentos antes. Já no carro e perto de seu destino foram abordados pelos assaltantes, na rua Dona Claudina. Uma moto parou na frente do carro de Fabiano que não teria visto que comparsas estavam em outro veículo, dando cobertura ao assalto.

A sua namorada correu assim que começou a troca de tiros. Um suspeito do assalto, identificado como Juan Carlos Lourenço da Silva, 22, foi morto no local por Fabiano. O pai de Fabiano, Gilson Besada, 64, contou que o filho quis se tornar agente após fazer matérias de jornalismo policial.

Policial foi enterrado sob aplausos e comoçãoLuiz Ackermann / Agência O Dia

“Ele trabalhou como estagiário da Tupi e repórter no O Povo. Lembro quando me contou que queria ser policial: 'pai, adoro acompanhar os policiais em operação'. Ele conseguiu realizar esse sonho”, afirmou.

Atualmente, o filho havia acabado de se formar em Direito e se preparava para fazer concurso para delegado. O corpo do policial foi enterrado na tarde de ontem, no cemitério do Caju. Desde ontem, a polícia faz operação no Complexo do Lins. Durante a ação policial, o carro usado pelos bandidos foi recuperado.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia