Sexta sem mosquito: Combate é ampliado

Mutirão ocorre em órgãos públicos, unidades de saúde, escolas, casas e canteiros de obras

Por gabriela.mattos

Rio - A partir de agora, toda sexta-feira vai ser dia de combater o Aedes aegypti. Com a proximidade do verão, o Ministério da Saúde quer ampliar a atuação contra o transmissor da dengue, zika e chikungunya. Hoje, Dia Nacional de Combate ao Mosquito, um mutirão acontece em órgãos públicos, unidades de saúde, escolas, casas e canteiros de obras. A ideia é que todas as sextas sejam dedicadas à verificação de possíveis focos, incentivando a população a ‘fazer a sua parte’.

Militares das Forças Armadas, agentes de saúde e da Defesa Civil e até ministros estarão nas ruas para a ‘operação de guerra’ contra o mosquito. No Estado do Rio — onde foram notificados de 1º de janeiro a 16 de novembro 80.215 casos suspeitos de dengue, com 14 mortes — o dia 2 de dezembro foi instituído como Dia Estadual de Mobilização. Decreto publicado quinta determina que as sextas sejam dedicadas à vistoria de criadouros nas repartições públicas.

No Rio, a Secretaria municipal de Saúde não programou uma ação especial para hoje. “O combate ao mosquito é permanente, com ações de rotina durante todo o ano, mesmo nos meses de menor incidência das doenças”, informou, em nota. Ainda segundo o órgão, o número de visitas de inspeção e eliminação de depósitos aumenta a cada ano. Até agora foram 11,1 milhões de visitas, contra 10,7 milhões em todo o ano de 2015. O número de depósitos eliminados ou tratados, porém, é menor: 3.387.445 contra 4.355.406 no ano passado.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia