Mais Lidas

Corpo de PM morto em tentativa de assalto na Tijuca será enterrado nesta quinta

Soldado Jefferson da Cruz Pedra foi baleado durante troca de tiros com os assaltantes que tentaram roubar joalheria no Tijuca Off Shopping

Por adriano.araujo

Rio - O corpo do soldado da PM Jefferson da Cruz Pedra, morto por bandidos que tentaram assaltar uma joalheria no Tijuca Off Shopping, será enterrado nesta quinta-feira. O sepultamento ocorrerá às 15h45 no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Oeste.

O policial, lotado no 18º BPM (Jacarepaguá), foi atingido durante uma troca de tiros com os assaltantes. Ele chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Federal do Andaraí, mas não resistiu. Na ocasião, um casal também foi baleado. Eles também foram levados para a mesma unidade que o PM e já receberam alta.

O soldado Jefferson da Cruz Pedra estava na PM há dois anos e, segundo a corporação, era solteiro.

Tiroteio causou pânico no Tijuca Off Shopping, em tentativa de assalto a joalheria. PM acabou mortoReprodução Facebook

Seis PMs mortos em cinco dias de 2017

Outro policial foi morto no Rio na madrugada desta quinta-feira, o sexto somente nos primeiros cinco dias de 2017. O PM morto, Marcelo Abdalla Neder, estava em um carro junto de outros dois companheiros de farda, que também ficaram feridos, quando foram atacados por bandidos na Via Dutra, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Segundo informações do 20º BPM (Mesquita), os criminosos estavam fazendo um roubo da carga de um caminhão, na altura de Comendador Soares, por volta das 4h, quando os policiais, que seguiam pela rodovia de carro, se depararam com o grupo armado. Eles foram reconhecidos pelos bandidos, que abriram fogo. Um outro policial foi baleado no joelho e o terceiro foi agredido a golpes de coronhada.

Marcelo Abdalla Neder, lotado na UPP do Lins, era casado e deixa uma filha. Ainda não há informações sobre o enterro.

Além de Jefferson e Marcelo, outros quatros policiais militares morreram nos cinco primeiros dias de 2017. Em menos de 12 horas, a capital registrou duas mortes.

Na Baixada Fluminense, na última segunda-feira, o cabo Cleiton William Santos de Freitas foi assassinado a tiros de fuzil e pistola dentro de seu carro na Estrada de Tinguá, em Duque de Caxias. Em Guapimirim, um sargento reformado da PM foi morto e outro ficou ferido por estilhaços durante um confronto em frente a uma agência bancária.

Ainda no segundo dia do ano, o soldado Antônio Carlos Paiva Nunes, de 34 anos, morreu após um dia internado no Hospital Quinta D'Or, em São Cristóvão. O policial militar foi baleado na cabeça no dia anterior quando sua viatura da equipe de supervisão da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) passava pela Avenida Leopoldo Bulhões, próximo à favela de Manguinhos, na Zona Norte, e foi atacada por criminosos armados.

Já o policial André William Barbosa de Oliveira foi encontrado dentro do porta-malas de um carro na madrugada de domingo, dia 1º. O soldado estava desaparecido desde a noite do último sábado. Segundo a polícia, ele participava de uma festa na comunidade do Batan, em Guadalupe, na Zona Norte, quando foi reconhecido como militar e sequestrado por um grupo de traficantes. A PM informou ainda que os suspeitos o teriam levado para a comunidade da Quitanda, na Pavuna, Zona Norte.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia