'Eu só obedecia ordens', diz namorada de médico que fez procedimento estético que matou bancária

Entretanto, a polícia diz que ela participou de intervenção estética e fingia ser técnica em enfermagem. Segundo Renata Fernandes, que está presa, prática na cobertura era comum e ela "não sabia que era uma prática irregular"

Por RAFAEL NASCIMENTO

Renata Fernandes Cirne, namorada do médico Denis Furtado, foi presa no dia 17 de julho
Renata Fernandes Cirne, namorada do médico Denis Furtado, foi presa no dia 17 de julho -

Rio - Presa por participação no procedimento estético que causou a morte da bancária Lilian Quézia Calixto de Lima, 46 anos, sábado, Renata Fernandes Cirne, de 19 anos, disse que só obedecia ordens do namorado, o médico Denis Cesar Barros Furtado, conhecido como Doutor Bumbum. Entretanto, a polícia afirma que ela se passava por técnica em enfermagem, profissão na qual ela não tinha formação. Denis e sua mãe, Maria de Fátima Barros Furtado (que teve o registro médico cassado em 2015), estão foragidos.

"Desde o início, ele falou que os procedimentos eram ambulatorial e que não precisava de sala de cirurgia. Estou surpresa, como todo mundo. Eu não sabia que era uma prática irregular. Eu só obedecia ordens dele, marcava consulta e ligava para os pacientes. Ele dizia que era tudo registrado, que estava tudo certo. Eu não sou da área da saúde, não tenho formação acadêmica de técnica de enfermagem. Eu só era secretária", disse Renata.

Entretanto, a delegada Adriana Belem, titular da 16ª DP (Barra da Tijuca), que investiga o crime, disse que a namorada do médico tinha plena consciência do que era feito. Ela chegou a iniciar um curso de técnica em enfermagem em São Paulo, mas abandonou após um mês. 

"Pedimos a prisão temporária dessas quatro pessoas por homicídio qualificado e associação criminosa. Todos têm participação, inclusive a Rosilane, que também fingia ser técnica de enfermagem", disse a delegada. Renata nega e alega que usava a roupa de técnica em enfermagem porque Denis dizia "que a área tinha que estar esterilizada." Ela disse que foi abandonada pelo companheiro, com quem morava em Brasília, e que era comum o procedimento estético ser feito em apartamento que fica na cobertura do condomínio Santa Mônica, na Barra da Tijuca.

A delegada também pediu a prisão de Rosilane Pereira da Silva, que trabalhava como doméstica na residência onde foi feita a intervenção médica e cedeu o nome para a abertura de um salão de beleza que era uma "clínica fictícia", mas a Justiça negou o pedido. Uma foto em rede social mostra ela com Renata e o médico, todos vestidos de branco. "Equipe pronta para começar... Bom dia! Saúde e Beleza sempre!", escreveu Denis, e a namorada comentou. "Amo muito tudo isso!". 

"Era comum ele fazer o procedimento na cobertura. Eu não tive participação nesse procedimento, apenas marquei (a polícia diz que é mentira, que ela participou). Eu quis falar, ninguém aqui me obrigou. Estou presa há quase 4 dias e ele não teve consideração, não mandou nem um advogado. Eu não sabia que a mãe dele tinha o CRM cassado, sabia que o dele era do Distrito Federal e Goiás", falou. "Graças a ele minha vida está destruída. Estou me sentindo abandonada, sem nenhuma assistência", desabafou, aos prantos. Ela chegou a passar mal e recebeu atendimento médico.

'Ela está assustada', diz advogada de Renata

A advogada Valéria Vieira disse que foi contratada pelos pais de Renata Cirne para defendê-la. A jovem nasceu em São Paulo, morou muitos anos na Bahia e atualmente, estava em Brasília. "Ela é recepcionista e anotava telefones para o doutor Denis há um ano e pouquinho", declara. "Ela na condição de empregada, fazia o que ele mandava e atender telefone não é crime. Se ele atendia as pessoas, o problema é dele. Ela não atendia as pessoas", completa a advogada.

No entanto, Valéria não descarta que a jovem soubesse sobre os procedimentos. "Acredito que ela sabia que o Denis fazia esses procedimentos, acredito também que a Renata seja inocente. O fato dela beijar a boca dele não a faz conivente e nem criminosa. O que ela cometeu de errado? Atender telefone?", questiona. 

Sobre o namoro de Renata e Denis, a advogada diz que "relacionamento é muito complexo".  "Ela só tem 19 aninhos e está assustada, afirma. Valéria diz que pedirá o habeas corpus da jovem. "Ela não ajudava o médico nos procedimentos. É fácil comprovar isso, a letra dela está na agenda."

Renata (primeiro plano), com o médico Denis e Rosilene ao fundo. "Equipe pronta para começar... Bom dia!", escreveu o procurado na postagem. A namorada comentou: "Amo muito tudo isso! Hahahah " - Reprodução Internet

Bancária fez procedimento horas após desembarcar

Lilian chegou de Cuiabá, onde morava, ao Rio através do Aeroporto Internacional Tom Jobim, e o procedimento seria realizado no mesmo dia, com previsão de retornar para o Mato Grosso no dia seguinte. Segundo a polícia, a bancária foi avisada em cima da hora que a intervenção seria realizada na cobertura da Barra, seguindo para lá de táxi. Inclusive combinou com o mesmo taxista a viagem de volta para o Galeão.

O valor cobrado pelo procedimento estético era de R$ 20 mil. No período da tarde, ela começou a realizar a intervenção para aplicar silicone nas nádegas. A substância usada era Biosimetric, um implante para plástica reparadora. Lilian passou mal, e Denis e Renata a levaram para o Barra D'Or, onde ela chegou com quadro de embolia pulmonar, no fim da noite.

No início da madrugada, ela morreu, mas tanto o médico quanto a sua namorada não estavam mais no hospital. A diretora da unidade procurou a polícia, assim como o taxista que levaria a bancária de volta para o aeroporto. Segundo Adriana Belém, os dois acusados o procuraram para entregar os pertences da vítima, o que o motorista achou estranho.

"A gente ficou sabendo da morte, e ele (Denis) decidiu ligar para os familiares (da Lilian). Ele ligou e pediu para falar com Osmar (marido da Lilian), mas falou com outro homem. Eu só deixei ela lá sozinha porque ele mandou, eu só obedeci ordens", defendeu-se Renata, que foi presa no condomínio. Denis também recebeu ordem de prisão, mas abandonou o carro e conseguiu fugir.

 

Galeria de Fotos

Renata Fernandes Cirne, namorada do médico Denis Furtado, foi presa no dia 17 de julho Estefan Radovicz / Agência O Dia
Renata (primeiro plano), com o médico Denis e Rosilene ao fundo. "Equipe pronta para começar... Bom dia!", escreveu o procurado na postagem. A namorada comentou: "Amo muito tudo isso! Hahahah " Reprodução Internet
Maria de Fátima Barros Furtado, mãe de Denis, tem registro de médica cassado pelo Conselho Regional de Medicina do Rio Reprodução / Divulgação

Últimas de Rio de Janeiro