Polícia investiga mais procedimentos de presa suspeita de matar paciente

MP diz que ela ainda receitou remédios para aliviar complicações do procedimento estético

Por GUSTAVO RIBEIRO

Mariana foi detida em casa, na Baixada Fluminense
Mariana foi detida em casa, na Baixada Fluminense -

Rio - Uma mulher foi presa em casa na manhã desta segunda-feira, em Mesquita, acusada de exercício ilegal da medicina e de ter provocado a morte de uma paciente após um procedimento estético nos glúteos. Segundo o Ministério Público (MPRJ), Mariana Batista de Miranda, 34 anos, injetou silicone industrial nas nádegas de Fátima Santos de Oliveira, 44, que morreu no dia 8 de abril. Mariana tem carteira de estudante de curso técnico em Enfermagem e declarou ter feito seis procedimentos desse tipo, mas a polícia suspeita de mais. "Ela afirmou que começou a fazer os procedimentos para sustento da filha quando ficou grávida, sendo que a filha tem 3 anos. É inconcebível que só tenha realizado seis nesse tempo todo", disse o delegado Vinícius Domingos, da 55ª DP (Queimados). A 55ª DP investiga possíveis ajudantes.

O laudo de necropsia atestou que a aplicação subcutânea de silicone industrial foi a única causa da morte da vítima, como aponta a denúncia. O delegado Vinícius Domingos, da 55ª DP (Queimados), afirmou que Mariana fazia as aplicações nas casas das clientes e cobrava de R$ 1,5 mil a R$ 2 mil por cada uma. M

Segundo ele, Fátima foi submetida a duas sessões de preenchimento, em fevereiro e março, no total de 1,5 litro do produto. "Foi em decorrência dessa segunda que ocorreram as complicações e a morte", disse o delegado.

A denúncia mostra ainda que Mariana, mesmo sem possuir conhecimento técnico, prescreveu medicações à vítima após tomar ciência das complicações, em conversas no WhatsApp. Em um dos diálogos, a cliente informou que um lado do bumbum estava maior do que o outro. Mariana respondeu: "Carol (teria trocado o nome para disfarçar), um lado da nossa bunda é sempre maior do que o outro, entendeu? Isso aí é normal". Depois de Fátima reclamar que não estava bem, a falsa médica orientou: "Não senta com a bunda toda assim não, senta só na pontinha. E se você sair de moto, empina bem a bunda, entendeu?".

Galeria de Fotos

Mariana Batista de Miranda foi detida em casa, na Baixada Fluminense Divulgação
Mariana foi detida em casa, na Baixada Fluminense Divulgação / Polícia Civil

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro