Policiais civis e militares se unem em curso estratégico de Segurança Pública

Até 2022, 250 agentes das cúpulas terão concluído os estudos

Por O Dia

 Policiais civis e militares  unidos para capacitação e aperfeiçoamento de lideranças
Policiais civis e militares unidos para capacitação e aperfeiçoamento de lideranças -

Rio - Agentes das polícias Civil e Militar do Rio vão estar mais preparados para lidar com o público em quatro meses, graças ao Curso Superior de Polícia Integrado (CSPI), iniciado em março, com previsão de término em dezembro. A capacitação dos profissionais, para aperfeiçoar lideranças, é uma das metas dos gestores de nível estratégico da Segurança Pública.

Até 2022, 250 integrantes das cúpulas das polícias vão concluir o CSPI, realizado com o apoio do Instituto de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração (COPPEAD), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Cidade Universitária da Ilha do Fundão. Ali, a integração entre as forças policiais já começa em sala de aula.

Os alunos são delegados da Polícia Civil, majores e tenentes-coronéis da PM. Todos com as atenções voltadas para aprimorar técnicas e expertises para a gestão das instituições policiais; debater temas centrais de Segurança Pública; e construir projetos para subsidiar ações futuras.

A construção do curso contou com a participação do Comitê Internacional da Cruz Vermelha para estabelecer um diálogo entre as normas internacionais de Direitos Humanos e os conteúdos das disciplinas, que abordam temas como liderança adaptativa, soluções de problemas complexos e análise de mancha criminal, tendo a segurança cidadã como tema transversal à malha curricular.

“O CSPI é fundamental na capacitação e no aprimoramento das polícias, primeiro porque integra as áreas educacionais das policiais e a COPPEAD/UFRJ. Passa-se a discutir ferramentas operacionais de polícia e de gestão também com a influência e a troca de conceitos acadêmicos e de pesquisas nacionais e internacionais”, declarou a subsecretária de Educação, Valorização e Prevenção da Secretaria de Segurança, Helena de Rezende.

Para ela, o processo de integração entre as forças policiais é fundamental, porque a Polícia Militar e Polícia Civil precisam pensar o processo de segurança pública de forma coordenada e o curso traz isso em toda a sua estrutura. “Estamos fechando ainda o módulo internacional, buscando parceiros da iniciativa privada para complementar essa experiência integrada”, anunciou.

Cada ano terá uma turma com 50 alunos se capacitando no CSPI. A primeira teve início em 6 de março e termina em dezembro. O CSPI foi planejado e estruturado pelas atividades do chamado Grupo de Trabalho, formado por equipes das áreas educacionais da Polícia Civil, Polícia Militar, Subsecretaria de Educação, Valorização e Prevenção da Secretaria de Estado de Segurança (SSEVP/SESEG) e COPPEAD/UFRJ.

Últimas de Rio de Janeiro