Tia Ju entra na disputa pela presidência da Alerj

Deputada do PRB vai lançar sua candidatura e pode ser a primeira mulher presidente da Casa

Por O Dia

Deputada Tia Ju (PRB)
Deputada Tia Ju (PRB) -

Rio - A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) pode ter, pela primeira vez, uma mulher na presidência da Casa. Após a prisão do deputado Andre Correa (DEM) na quinta-feira por suspeita de recebimento de propina, a deputada Tia Ju (PRB) vai lançar, na próxima semana, sua candidatura à mesa diretora. Segundo a parlamentar, a candidatura de Correa ficou desarticulada e houve uma demanda dos colegas de plenário para ela participar da disputa.

"Estamos vivendo tempos de mudança, a população disse isso nas urnas. É necessário arejarmos as ideias e os pensamentos políticos. Com a minha candidatura, à frente de uma chapa forte e com políticos com experiência em várias áreas do conhecimento, creio que poderemos legislar de forma mais descomprometida e mais próxima das cidadãs e dos cidadãos", disse a deputada, que integra a 'bancada evangélica' está em seu segundo mandato.

Se confirmada pelo PRB, Tia Ju disputará a cadeira com o presidente em exercício da Alerj, André Ceciliano (PT), que anunciou, no mês passado sua candidatura à reeleição, e Marcio Pacheco, do PSC. Já o PSL, comandado por Flávio Bolsonaro no Rio, ainda não decidiu se vai lançar um nome próprio na próxima legislatura, após abandonar o apoio à Correa. Para Tia Ju, sua chapa será diferenciada, por conta de um "excelente relacionamento com o novo governador, Wilson Witzel (PSC), e por conciliar divergências internas".

Correa segue na votação

Reeleito como o sétimo parlamentar mais bem votado na eleição de outubro, Andre Correa disse, no dia da sua prisão, que mantém sua candidatura à presidência Alerj. "Quem não deve não teme", salientou ele.

Além do deputado, outros seis parlamentares foram presos na operação "Furna da Onça", da Polícia Federal.

Galeria de Fotos

Fernando Haddad: réu Reprodução / TV Cultura
Em seis anos, o projeto Livro nas Praças, em que dois ônibus-bibliotecas percorrem comunidades carentes do entorno da Linha Amarela e da Baixada Fluminense, já promoveu a leitura para mais de 180 mil leitores. O acervo é de 2.500 livros, sendo algum deles em braile. O projeto visa incentivar a leitura de crianças de 6 a 12 anos que ouvem as histórias dos educadores. DIVULGAÇÃO
Deputada Tia Ju (PRB) Divulgação
O Va'a terá 500 competidores de oito países em canoas havaianas DIVULGAÇÃO
Cartazes de Kashoggi erguidos em funeral simbólico em Istambul BULENT KILIC

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro