Polícia Civil prende maior vendedor de relógios falsos da Barra da Tijuca

Criminoso, preso nesta segunda-feira, vendia materiais falsificados por até R$ 4 mil

Por O Dia

Material foi apreendido na casa de criminoso
Material foi apreendido na casa de criminoso -

Rio - Policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM) prenderam, nesta segunda-feira, Marcio Frugulhetti, apontado como o maior vendedor de relógios falsificados da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. Ele foi detido no condomínio Portoverano, que também fica no bairro, e, com ele, os policiais apreenderam cerca de R$ 350 mil em material falso.

Segundo as investigações, Marcio trabalhava com as marcas mais caras de relógios do mundo. O criminoso oferecia os produtos falsos por um site de vendas online, pela média de preço de R$ 4 mil. O preço de mercado dos produtos originais podem chegar a custar cerca de US$ 50 mil.

Galeria de Fotos

Marcio Frugulhetti é apontado como maior vendedor de relógios falsos da Barra da Tijuca Divulgação/Polícia Civil
Material foi apreendido na casa de criminoso Divulgação/Polícia Civil

"Cada vez mais vemos o crime de pirataria atingindo a classe média e alta. O que prova que já ultrapassou muito as bancas de camelôs", disse Mauricio Demétrio, delegado à frente do caso.

De acordo com Demetrio, contra Marcio também havia um mandado de prisão por homicídio. Ele estava foragido desde 2005, quando matou um homem de 57 anos após avançar um sinal embriagado, na Avenida Armando Lombardi, Barra da Tijuca, também na Barra da Tijuca.

O criminoso irá responderá pelo comércio de material falsificado, artigo 190 da lei de propriedade intelectual, e pode pegar até três anos de prisão.

Últimas de Rio de Janeiro