Incêndio de grandes proporções atinge refinaria em Manguinhos

Bombeiros atuaram com sete quartéis no combate às chamas, que teriam começado em caminhões-tanque, e, inicialmente, uma pessoa foi atendida por inalar fumaça do fogo

Por ADRIANO ARAÚJO

Incêndio atingiu refinaria em Manguinhos e preocupou moradores da Favela do Arará
Incêndio atingiu refinaria em Manguinhos e preocupou moradores da Favela do Arará -

Rio - Um incêndio de grandes proporções atingiu uma refinaria de Manguinhos, na Zona Norte do Rio. Os bombeiros foram acionados para o local às 13h40, inicialmente o Quartel de Benfica. Logo depois foram chamados reforços de outros seis quartéis (Central, Caju, São Cristóvão, Irajá, Alto da Boa Vista e Duque de Caxias). O fogo começou em um dos caminhões-tanque que estavam estacionados no pátio da refinaria e oito veículos foram atingidos. As chamas foram controladas por volta das 15h20 e ninguém ficou ferido. Os militares ainda fazem o rescaldo no local e a Refit, que administra a refinaria, vai apurar as causas do incêndio.

A Avenida Brasil foi interditada no trecho, no sentido Centro do Rio. Também foi iniciada a liberação da saída 9A da da Linha Amarela, para a Av. Brasil. A via foi liberada por volta das 15h30. Neste momento, o trânsito apresenta retenções em Parada de Lucas, Manguinhos e Caju. Neste momento, a via apresenta melhores condições na comparação com a Linha Vermelha.

Imagens do incêndio foram registradas de diversos pontos da cidade, como Cidade Nova, Lapa, Tijuca e até de Niterói. "Muito fogo com labaredas e fumaça preta em morro próximo São Cristóvão", escreveu um internauta, que postou vídeo que avistava chamas de longe. 

Em nota, a Refit comunicou que o incêndio atingiu a sua área de descarga e recebimento de matéria-prima e que o fogo ficou limitado a região onde se encontravam os caminhões que estavam descarregando. Confira parte da nota:

"A prioridade da Refit foi impedir que o fogo se alastrasse para áreas de maior risco, como as áreas de armazenagem e de produção, como determinam as normas de seu plano de combate a incêndio.

O fogo, ainda que tenha se iniciando em um único caminhão, em questão de minutos atingiu as demais carretas, que se encontravam próximas ao local, assim não havia outro procedimento a ser adotado a não ser permitir que todo o produto que existia nos caminhões se exaurisse através das chamas.

Com isso, a prioridade de nossa brigada de incêndio foi em evacuar as instalações e impedir o alastramento do fogo. O incêndio foi controlado e a refinaria abrirá uma sindicância interna para apurar todas as causas que levaram a esse incidente. A Refit pede desculpas ao transtorno causado e segue firme em seu compromisso com a comunidade Fluminense".

ANP abrirá processo para apurar incêndio

A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) vai abrir um processo administrativo para apurar as causas do incêndio. Uma equipe do órgão regulador foi enviada ao local. De acordo com a ANP, o incêndio não provocará impactos no abastecimento de combustíveis.

Desabastecimento

O Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes e de Lojas de Conveniência do Município do Rio de Janeiro (Sindcomb) também disse que não tem informações sobre a possibilidade de desabastecimento de gasolina e de diesel no município do Rio porque não tem acesso ao número de distribuidoras que adquirem produtos da Refit.

"Grande parte dos postos revendedores de combustíveis associados mantêm contrato comercial com distribuidoras de médio e grande portes, entre as quais a BR, a Shell e a Ipiranga. Como as bases de distribuição dessas empresas ficam perto da Refinaria Duque de Caxias (Reduc), em Campos Elíseos, elas não sofreram impacto do incêndio", dizia a nota.

Incêndio assusta moradores do Arará

O incêndio assustou moradores da Favela do Arará, que fica próximo à Refinaria de Manguinhos. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra muitas famílias assustadas com a aproximação das chamas à comunidade. 

"Muita gente saindo do Arará, geral com medo de pegar fogo também na favela. Fumaça está vindo para cá", narra o cinegrafista que grava imagens de vários moradores nas ruas, muitos com crianças de colo. 

Foi muito fogo, muita explosão, muita correria. Criança gritando, adulto chorando, velho chorando, gente caindo, muito tumulto. Estremeceu as casas, por isso nós nos retiramos. Eu estava arrumando a casa e a vizinha veio dizer que a refinaria estava pegando fogo. Se o vento virasse, pegava em tudo”, relatou a dona de casa Carla Cristina, que mora com seis pessoas e saiu correndo, com os filhos e netos, até uma praça distante do incêndio, onde acamparam, esperando o fogo ser controlado.

As ruas da favela ficaram desertas durante o ápice do incêndio. As pessoas fecharam as casas e se concentraram nas entradas da comunidade, com medo do fogo se alastrar. Porém, muitos curiosos subiram na linha do trem que divide o Arará da refinaria para ver mais de perto o trabalho dos bombeiros.

“Tava muito alto o fogo. A favela ficou vazia. Todo mundo correu lá pra fora. Todos ficaram lá na pista”, disse o ajudante de pedreiro Charles.

“Ficaram todos em pânico. A explosão foi muito forte. As pessoas estavam fazendo a comida e abandonaram as casas. Ninguém veio nos orientar de nada”, disse o carregador de verduras Antônio, que está com a mãe doente e não pôde sair de casa.

“Teve a explosão, queimou o primeiro caminhão e aí explodiu um do lado do outro. A reação foi sair correndo todo mundo. Quem tinha parente idoso, carregou no colo. As crianças correndo desesperadas. Deixamos até as casas abertas, nem pensamos duas vezes”, contou Luiz Carlos, que trabalha na dragagem do rio que corta a comunidade.

Com informações da Agência Brasil

Galeria de Fotos

Incêndio atingiu refinaria em Manguinhos e preocupou moradores da Favela do Arará Francisco Ivan / Agência O Dia
Incêndio atinge refinaria em Manguinhos Reprodução Internet

Últimas de Rio de Janeiro