Ipanema Presente começará junto com operação na Tijuca

Reforço na segurança nos dois bairros entrará em vigor a partir de 3 de janeiro

Por O Dia

Agentes da Operação Aterro Presente em ação: projeto será levado para outros bairros
Agentes da Operação Aterro Presente em ação: projeto será levado para outros bairros -

Rio - Mais um bairro da Zona Sul do Rio fará parte do projeto Segurança Presente. A partir do dia 3 de janeiro, mesma data da estreia do Tijuca Presente, os moradores de Ipanema contarão com reforço no patrulhamento nas ruas. O policiamento será realizado a pé, em bicicletas, motos e viaturas, no período de 8h às 20h.

"Inicialmente, vamos começar na Praça Nossa Senhora da Paz, com previsão de efetivo até a Praça General Osório. No início, serão 50 agentes, sendo que 40 deles são PMs. O restante é de egressos das Forças Armadas", explicou o coordenador do programa, capitão da Jam Creveld Monteiro.

O militar, que é ex-coordenador do Centro Presente e está há dois anos no programa, afirma que o projeto é importante, pois fecha um cinturão de proteção em uma das principais regiões turísticas da capital. "A tendência é que o policiamento seja estendido até os limites entre o bairro e Copacabana", completou.

No mesmo dia, também entrará em operação o Tijuca Presente, que começa a funcionar na Praça Vanhargem e Praça Saens Peña e conta com o mesmo número de agentes: 50.

Outra ampliação do programa aconteceu no Leblon, onde recentemente foi implantado o Leblon Presente com base na Praça Antero de Quental, que conta com 44 homens.

Mais de 12 mil presos

A Operação Segurança Presente já atua na Lapa, Centro, Aterro do Flamengo, Lagoa Rodrigo de Freitas, Méier e no Leblon.

De acordo com o comando do Segurança Presente, mais de 12,9 mil pessoas foram presas em flagrante e 2.280 foragidos da Justiça foram capturados. Além disso, as equipes de assistentes sociais instaladas nas bases do projeto realizaram 70.328 ações de acolhimento a moradores de rua e menores perdidos.

O Segurança Presente ainda tem previsão de expandir para outros bairros, como Laranjeiras, Cosme Velho, Botafogo, Humaitá e na Baixada Fluminense. O custo anual do projeto é de R$ 9 milhões.

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro