PM morre após levar tiro na cabeça

Soldado, que tentou impedir arrastão, é o primeiro militar morto na gestão Witzel

Por

Um policial militar morreu após ser baleado na cabeça na tarde de ontem na Linha Amarela. Ele chegou a ser levado para o Hospital Federal de Bonsucesso, passou por cirurgia, mas não resistiu. O soldado Jorge Henrique Mariotti, de 30 anos, lotado no 22º BPM (Maré), foi o primeiro policial morto no estado, neste ano, durante a gestão do governador Wilson Witzel.

O governador frisou, por meio de nota, que a investigação sobre a morte do PM será tratada com rigor. "O Rio de Janeiro acaba de perder mais um herói nesta guerra contra os terroristas nas ruas do nosso estado. Como governador, a morte de um policial é como perder um filho. Vamos investigar este caso com todo o rigor e não vamos parar o combate ao crime até devolvermos a paz ao estado".

Mariotti estava a serviço, em deslocamento de motocicleta com outros policiais, quando tentou impedir um arrastão na saída 7, em Bonsucesso, no sentido Ilha do Governador. Os bandidos atiraram e conseguiram fugir.

Mais cedo, quando o militar ainda estava internado em estado grave, o governador chegou a lamentar o caso e disse que o protocolo de atuação de deslocamento de policiais deve ser revisto. "Todos os dias têm tiroteios no Rio. Precisamos rever este protocolo, pois ele (o PM) estava sozinho (na moto) no momento do crime".

 

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro