Rio teve um feminicídio a cada 24 horas nos quatro primeiros dias de 2019

Nos primeiros quatro dias do ano, quatro mulheres foram mortas pelos próprios companheiros; a quarta vítima foi Tamires Blanco, de 30 anos, morta em casa pelo marido, no morro do Urubu

Por RENAN SCHUINDT

Tamires Blanco, de 30 anos, já havia registrado agressões do marido
Tamires Blanco, de 30 anos, já havia registrado agressões do marido -

Rio - O ano mal começou e a média de casos de feminicídio praticados no Rio já assusta. Em apenas quatro dias, quatro mulheres foram vítimas de seus próprios companheiros. A média de um caso por dia já representa 57% do total de casos ocorridos em todo o mês de janeiro de 2018, quando ocorreram sete crimes, como mostram os dados do Instituto de Segurança Pública (ISP-RJ). Os episódios mais recentes aconteceram na última sexta-feira, na Zona Norte.

Um dos casos aconteceu na noite de sexta-feira, no Morro do Urubu, em Pilares. Tamires Blanco, de 30 anos, foi morta com socos e garrafadas pelo marido, Dilson Araújo. Segundo familiares, o crime teria ocorrido após uma discussão entre o casal. "Quando cheguei na casa dela, encontrei a bebê em cima do corpo da mãe. Ninguém esperava que isso fosse acontecer. Tínhamos feito um churrasco no dia anterior", desabafou Vanessa dos Santos, prima da vítima.

"Existe um sentimento de posse por parte desses homens, como se a mulher fosse um objeto. Isso é percebido por nós, que estamos em contato com cada caso, e pelos próprios psicólogos que participam dos programas de enfrentamento. É preciso aprofundar esse debate urgente", comentou Marisa Gaudio, presidente da OAB Mulher.

No ano passado, Tamires já havia registrado boletim de ocorrência contra Dilson que resultou em uma medida protetiva. No entanto, eles acabaram reatando. Além da filha de 11 meses, Tamires deixa um filho de 5 anos, fruto de um relacionamento anterior. O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios.

MORTE EM CORDOVIL

No mesmo dia, Marcelle Rodrigues, de 27 anos, foi morta após ser esfaqueada pelo marido na frente do filho. O caso aconteceu em Cordovil. O homem, que tentou fugir, foi preso por um policial reformado que seria morador da região.

Já na quinta-feira, Simone Oliveira, de 40 anos, foi morta a golpes de marreta. O crime ocorreu em Itaguaí, na Região Metropolitana. O marido, José Carlos da Silva de Carvalho, de 60 anos, foi preso no dia seguinte.

O primeiro caso de feminicídio ocorrido em 2019 no Rio, teve como vítima Iolanda Crisóstomo. Ela foi morta a facadas logo após as comemorações da passagem de ano. O crime aconteceu no bairro do Tanque, em Jacarepaguá. O suspeito foi preso.

AUMENTO DE DETENÇÕES

O número de detenções resultantes de processos de violência doméstica vêm aumentando gradativamente. Segundo o Observatório da Violência contra a Mulher, de 2011 a 2016, o aumento foi de 173%. Em seis anos, as prisões de agressores passaram de 550 para 1,5 mil em todo o país.

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro