PF e Seap investigam facilitação da entrada de drogas e celulares por Sedex em cadeia

Uma operação visando confirmar facilitação ocorreu nesta segunda-feira e encontrou 34 celulares, dois roteadores, 30 carregadores, 200 comprimidos de êxtase e dois tabletes de erva seca prensada, que seria maconha

Por O Dia

Celulares, drogas e roteadores encontrados em cadeia: investigação apura facilitação para entrar material através de encomendas Sedex
Celulares, drogas e roteadores encontrados em cadeia: investigação apura facilitação para entrar material através de encomendas Sedex -

Rio - A facilitação da entrada celulares e drogas através de correspondências por Sedex em um presídio do Complexo de Gericinó, na Zona Oeste, está sendo investigada pela Polícia Federal (PF) e pela Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). Uma operação ocorrida nesta segunda-feira encontrou 34 celulares, dois roteadores, 30 carregadores, 200 comprimidos de êxtase e dois tabletes de erva seca prensada, que seria maconha.

A ação foi realizada pela Superintendência de Inteligência do Sistema Penitenciário (Sispen) e a Corregedoria da Seap, em parceria com agentes da Delegacia de Repressão a Crimes Patrimoniais (DELEPAT), da Polícia Federal. A ação aconteceu para confirmar a suposta facilitação de entrada no sistema prisional de celulares e drogas através de correspondências do Sedex.

Uma sindicância interna foi aberta na Corregedoria da Seap para apurar se houve alguma facilitação. Além disso, uma ocorrência também também foi registrada pela Superintendência da Polícia Federal, que investigará o caso.

Últimas de Rio de Janeiro