Vereador Wendel Coelho é morto em Japeri

Político estava com o irmão quando foi atingido por um tiro no peito disparado por um motociclista próximo à Praça Olavo Bilac, em Engenheiro Pedreira

Por Beatriz Perez

mortes políticos baixada fluminense
mortes políticos baixada fluminense -

Rio - O vereador de Japeri Wendel Coelho (Avante) foi morto a tiros, aos 26 anos, no início da manhã deste domingo dentro do carro em que estava próximo à Praça Olavo Bilac, no bairro de Engenheiro Pedreira, na cidade da Região Metropolitana, a 76 km da capital. A Polícia Militar está no local e a Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) foi acionada.  

A Polícia Militar informou que Wendel foi encontrado morto com um tiro no peito no banco de motorista de um Cobalt às 4h50. Foi apurado pelos agentes que a vítima dirigia no sentido do bairro Alecrim e estava com o irmão Wellerson de Lima Coelho. Ao passar pela Praça Olavo Bilac, os dois avistaram vários motociclistas. Um deles seguiu o veículo, segundo a testemunha, que, ao se aproximar do Cobalt, atirou, atingindo Wendel fatalmente no peito.

Vereador Wendel Coelho, de Japeri, é morto em emboscada em rua do Centro do município. Na foto, o irmão do vereador assassinado, Wesley de Lima Coelho (de preto) - Estefan Radovicz / Agência O D

 

O político eleito aos 24 anos com 729 votos estava no primeiro mandato e ocupava uma das onze cadeiras da Câmara Municipal. Wendel era casado.

O prefeito em exercício de Japeri, na Baixada Fluminense, Cezar Melo, decretou luto oficial de três dias na cidade pela morte do vereador da cidade, Wendel Coelho (PTdoB).

Melo classificou a morte de Wendel como a notícia abrupta e disse que está abalado. Para o prefeito, a violência desmedida continua chocando a sociedade cotidianamente. "Por isso, nos solidarizamos com a família e pedimos a Deus que conforte o coração dos familiares, amigos e moradores neste momento dor e paixão”, disse.

O parlamentar ocupou comissões e foi segundo secretário da Câmara da cidade em 2017 e 2018. Em sua página no Facebook, Wendel escreveu sobre a violência na cidade. Ao comentar sobre a perda de um amigo, protestou contra a falta do direito de ir e vir. "Perdemos nosso direito de ir e vir. Hoje foi meu amigo que amo tanto, amanhã será quem? Devemos tomar providências rápidas e imediatas para que não aconteça mais com ninguém. Eu, vereador Wendel Coelho, estarei cobrando para melhoria da Segurança da nossa cidade", escreveu em janeiro deste ano.

Vereador Wendel Coelho, de Japeri, é morto em emboscada em rua do Centro do município - Estefan Radovicz / Agência O D

A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar informa que, no fim da madrugada deste domingo, policiais militares do 24ºBPM (Queimados) estavam em patrulhamento pelo bairro de Engenheiro Pedreira, no município de Japeri, quando notaram um veículo parado na via. No interior do carro, foi encontrada uma pessoa em óbito. 

De acordo com a DHBF foi instaurado inquérito policial para apurar as circunstâncias da morte do vereador. A Polícia Civil informa que diligências estão em andamento em busca de testemunhas e imagens. A perícia foi realizada.

Vereador Wendel Coelho, de Japeri, é morto em emboscada em rua do Centro do município. Na foto, o irmão do vereador, Weslei de Lima Coelho (de preto) - Estefan Radovicz / Agência

Operação prendeu prefeito e políticos em 2017

Wendel (C) com o prefeito de Japeri, Carlos Moraes (E), e Miga, ex-presidente da câmara da cidade. Ambos estão presos por tráfico de drogas - Whatsapp O DIA

O município de Japeri, a 76 km da capital, tem 101.237 habitantes, de acordo com Censo de 2017. O ex-prefeito da cidade Carlos Moraes foi preso em julho de 2017 por envolvimento com o tráfico de drogas. Na mesma operação, o então presidente da Câmara, Wesley George de Oliveira, o Miga, foi alvo de mandado de prisão, chegou a ficar foragido, mas se entregou à polícia. Além deles, o vereador Cláudio José da Silva, o Cacau, também foi preso. Na Operação Sênones, a DHBF e o Ministério Público do Rio de Janeiro afirmaram que uma das maiores facções criminosas do estado havia se instalado na Prefeitura de Japeri. 

A Baixada Fluminense concentra o maior número de homicídios de pessoas ligadas à política no Estado do Rio. Conforme reportagem do DIA, dos 17 homicídios contra políticos, 15 foram na região. Somente três inquéritos foram concluídos. Assim como o assassinato da vereadora do Rio Marielle Franco, que completou um ano no último dia 14, em nove dos casos, a polícia tem como principal linha de investigação a atuação de milicianos. 

Vereador Wendel Coelho, de Japeri, é morto em emboscada em rua do Centro do município - Estefan Radovicz / Agência O D

Galeria de Fotos

mortes políticos baixada fluminense LUIZA ERTHAL
O vereador de Japeri Wendel Andrei de Lima Coelho (PT do B) foi morto na manhã deste domingo Reprodução Facebook
Vereador Wendel Coelho estava passando de carro pelo local quando foi atacado Marina Cardoso / Agência O DIA
Vereador estaria no carro e foi morto por motoqueiros que passaram atirando Whatsapp O DIA
Wendel (C) com o prefeito de Japeri, Carlos Moraes (E) e Miga, ex-presidente da câmara da cidade. Ambos estão presos Reprodução Internet
Vereador Wendel Coelho, de Japeri, é morto em emboscada em rua do Centro do município. Na foto, o irmão do vereador assassinado, Wesley de Lima Coelho (de preto) Estefan Radovicz / Agência O D
Vereador Wendel Coelho, de Japeri, é morto em emboscada em rua do Centro do município Estefan Radovicz / Agência O D
Vereador Wendel Coelho, de Japeri, é morto em emboscada em rua do Centro do município Estefan Radovicz / Agência O DIA
Vereador Wendel Coelho, de Japeri, é morto em emboscada em rua do Centro do município Estefan Radovicz / Agência
Vereador Wendel Coelho, de Japeri, é morto em emboscada em rua do Centro do município. Na foto, o irmão do vereador, Weslei de Lima Coelho (de preto) Estefan Radovicz / Agência

Comentários