Homem é preso suspeito de perseguir e ameaçar a ex na Baixada

Família dele, no entanto, questiona versão dada pela mulher, dizendo que ela tentou cortar o pênis dele

Por O Dia

Rio - Agentes da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Duque de Caxias prenderam, na sexta-feira, um homem suspeito de perseguir e ameaçar a ex-mulher. De acordo com a especializada, ele descumpriu uma medida protetiva de urgência pedida por ela e expedida pelo Juízo da Comarca do município. 
Em depoimento à Deam, no dia 22 de agosto, a mulher disse que o ex tatuou seu nome e sobrenome no próprio pênis para que não pudesse manter relações sexuais com outras mulheres. Ela também disse que as perseguições e ameaças começaram após a separação do casal.
A titular da Deam Caxias, a delegada Fernanda Fernandes, disse que foi a terceira vez que ele foi preso por descumprir uma medida protetiva. Ainda segundo a delegada, após a mulher prestar depoimento, o homem foi intimado para dar a sua versão, mas não compareceu à especializada.
"Ele tomou ciência sobre o que era (a intimação). A gente falou que era uma acusação, mas ele simplesmente ignorou e não foi", conta a delegada. "A gente pediu a prisão dele porque começamos a ficar preocupados".
CONTESTAÇÃO
A irmã do suspeito, no entanto, questiona a versão dada pela mulher. De acordo com ela, os oito anos de namoro dos dois foram marcados por brigas provocadas por ambas as partes e indas e vindas no relacionamento. 
"Ele sempre chegou em casa machucado, mas nunca levou adiante o caso. Falava que estava tudo bem e logo começavam a brigar novamente. O corpo do meu irmão é cheio de hematomas", a parente alega.
A mulher diz ainda que no dia em que a ex relatou o caso à Deam, teria tentado cortar o pênis do irmão. 
A titular da Deam disse que o inquérito do caso já foi enviado para a Justiça, mas pode pedi-lo de volta caso o suspeito mostre provas que conteste a versão da ex.
"Nesta segunda vou ouvi-la para ela ter acesso ao depoimento dele", conta.

Comentários