Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) fez perícia na casa de Anna Carolina de Souza Neves, 8 anos, e já sabem de onde partiu tiro que matou menina. Ela que estava sentada no sofá de casa quando foi atingida - WhatsApp O DIA (98762-8248)
Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) fez perícia na casa de Anna Carolina de Souza Neves, 8 anos, e já sabem de onde partiu tiro que matou menina. Ela que estava sentada no sofá de casa quando foi atingidaWhatsApp O DIA (98762-8248)
Por Adriano Araujo e Thuany Dossares
Publicado 15/01/2020 11:15 | Atualizado 15/01/2020 11:36
Rio - A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) já sabe de onde partiu o disparo que atingiu a cabeça de Anna Carolina de Souza Neves, 8 anos, enquanto ela estava no sofá de casa em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, no último dia 9. A conclusão ocorreu durante a perícia complementar realizada no imóvel da família da criança, realizada na manhã desta quarta-feira. 
"A gente fez a perícia no imóvel e, pela trajetória do projétil dentro da casa, o tiro veio dos fundos, da região mais elevada que a casa. O tiro entrou pelo telhado, passou pelo forro, então ele veio dos fundos do imóvel, de uma área de vegetação. Nesse momento, vamos para esse local para continuar a perícia nessa área", disse o delegado Cassiano Conte, da DHBF.
Publicidade
Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) fez perícia na casa de Anna Carolina de Souza Neves, 8 anos, e já sabem de onde partiu tiro que matou menina. Ela que estava sentada no sofá de casa quando foi atingida - WhatsApp O DIA (98762-8248)
Agora, os agentes tentam descobrir quem realizou o disparo e qual a motivação. "Agora que temos essa noção (de onde veio o tiro), vamos em busca de quem estava naquele local no dia 9, às 22h30, mais ou menos no horário que aconteceu", falou o delegado.
Publicidade
O projétil retirado do corpo dela ainda passa por análise, mas a especializada já sabe que se trata de arma de calibre curto. "A gente ainda está fazendo a análise pericial nela, passando pelo banco de dados para ver se tem outros registros com essa mesma arma e saindo o resultado teremos uma conclusão melhor", explicou Conte.
Uma vizinha contou que ouviu os gritos da família quando Anna Carolina foi atingida e ajudou no socorro. Segundo ela, que preferiu não se identificar, a criança cochilava no momento que foi baleada.
Publicidade
"Eles gritaram que filha tinha sido atingida por uma bala e descemos, pegamos toalha para socorrer, pois acreditamos que dava para salvar a vida dela. Ela estava sentadinha no sofá, a mãe estava do lado dela vendo o celular. Ela cochilou e foi atingida, chegou a abrir o olhinho, olhou para a mãe", contou.
Anna Carolina foi vítima de bala perdida quando estava no sofá de casa - Reprodução do Facebook