Saúde investiga cinco casos suspeitos de coronavírus no Estado do Rio

São dois casos suspeitos no Rio de Janeiro, dois em Niterói e um em Nova Iguaçu

Por O Dia

-
Rio - Após o primeiro caso de coronavírus ser confirmado no Brasil, a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES) informou, na noite desta quarta-feira, que investiga cinco casos suspeitos do Covid-19, identificados nos municípios do Rio de Janeiro (2), Niterói (2) e Nova Iguaçu (1).

Segundo a pasta, os dados foram fechados às 16h e o mesmo procedimento é adotado todos os dias. O boletim do Ministério da Saúde é referente às informações encaminhadas pelos estados até às 12h. A SES reiterou que ainda não há nenhum caso de coronavírus confirmado no estado e que a população não precisa se alarmar, mas deve continuar a ter cuidados básicos de prevenção ao contágio.
Em nota, a secretaria esclareceu que "todos os casos suspeitos seguirão protocolos de atendimento preconizados pelo Ministério da Saúde e previstos no plano de contingência da SES".
Casos monitorados e uma infecção confirmada
As 34 pessoas que tiveram contato mais próximo com o brasileiro que está infectado por coronavírus estão sendo monitoradas mais de perto pelos governos de São Paulo e pelo governo federal. Desse total, 30 pessoas são parentes que estiveram almoçando na casa do paciente na capital paulista no domingo, entre eles, duas crianças que são netas dele. As outras quatro são pessoas que estiveram próximas dele no voo que ele fez da Itália para o Brasil na última sexta-feira.

"Seguimos protocolos internacionais da Organização Mundial de Saúde e do Ministério da Saúde. Os familiares já foram todos contatados e a orientação é para que estejam atentos aos sintomas e, quando tiverem sintomas, eles devem procurar um serviço de saúde. Também falamos para que eles evitem aglomerações. O homem está em isolamento domiciliar. Ele usa máscara e existe um protocolo para eliminação de resíduos domiciliares (lixo). Estão todos eles orientados. E os quatro pacientes do contato no voo (que estavam na mesma área que ele) foram todos orientados", disse nesta quarta-feira a coordenadora de Vigilância em Saúde do Município de São Paulo, Solange Saboia.

De acordo com a diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria da Saúde, Helena Sato, a esposa do homem que teve o caso confirmado para coronavírus está vivendo na mesma casa que ele, mas em ambiente separado. Toda a louça que ele utiliza é separada somente para ele. A esposa não apresenta sintomas da doença.

Nenhuma das pessoas que tiveram contato com o contaminado, chamadas de contactantes, apresentaram sintomas. Por isso elas não precisam estar em quarentena, segundo os protocolos que são seguidos mundialmente. Elas são apenas orientadas sobre os sintomas, procedimentos adequados e riscos.
Primeiro caso na América do Sul
O primeiro caso de Covid-19 foi diagnosticado na terça-feira, em um paciente do Hospital Israelita Albert Einstein. O exame foi enviado para contraprova no Instituto Adolfo Lutz, laboratório de referência nacional para análise de amostras casos suspeitos, que confirmou o resultado. Esse paciente esteve na Itália, a trabalho. Quando começou a apresentar sintomas, como tosse, coriza e febre, procurou o hospital, que confirmou a suspeita.

Além dos sintomas como febre, dificuldade para respirar, tosse ou coriza é preciso observar outros aspectos epidemiológicos, como histórico de viagem em área com circulação do vírus ou mesmo contato próximo a algum caso suspeito ou confirmado laboratorialmente para Covid-19. As áreas consideradas de risco hoje, em que houve confirmação de transmissão de coronavírus, são Itália, Austrália, China, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Camboja, Filipinas, Japão, Malásia, Vietnã, Singapura, Tailândia, Alemanha, França, Irã e Emirados Árabes Unidos.

"Quem é o caso suspeito? É a pessoa de qualquer idade que apresente febre, acompanhada por outros sintomas respiratórios que pode ser desde uma coriza nasal ou uma tosse", disse Sato. Além disso, destacou ela, é observado se essa pessoa viajou recentemente. "(Além de apresentar sintomas, pessoas suspeitas são aquelas) que nos últimos 14 dias tenham vindo, além da China, desse conjunto de países que foi incluído (na lista feita pelo Ministério da Saúde)".

Para prevenir a doença, o ideal é lavar as mãos constantemente com água e sabão ou álcool gel. Também é importante proteger o nariz e a boca quando espirrar.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários