Subtenente da PM, Eduardo Rabelo de Almeida foi morto a tiros em tentativa de assalto - Divulgação Portal dos Procurados
Subtenente da PM, Eduardo Rabelo de Almeida foi morto a tiros em tentativa de assaltoDivulgação Portal dos Procurados
Por O Dia
Publicado 12/09/2020 16:53 | Atualizado 12/09/2020 16:59
Rio - O Portal dos Procurados divulgou, neste sábado, um cartaz para ajudar a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) e o Grupo de Pronta Resposta da Coordenadoria de Inteligência da PMERJ (GPRI) a obter informações que possam levar à identificação e prisão dos envolvidos na morte do subtenente PM Eduardo Rabelo de Almeida, de 49 anos. Ele estava na corporação desde 1995 e deixa esposa e uma filha.
Lotado no 5º BPM (Harmonia), o policial foi morto a tiros na madrugada deste sábado, no bairro de Saracuruna, em Duque de Caxias. Ele voltava para casa quando passou de carro pela Rua Humberto de Campos, atrás do Campo Brasileirinho, e foi morto por quatro homens que tentavam roubar seu carro.
Publicidade
O policial foi atingido por cinco disparos, na cabeça e tórax. Ele socorrido pelo genro até a unidade de saúde de Saracuruna, mas não resistiu aos ferimentos.
Policiais da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) estiveram no local e assumiram as investigações. 
Publicidade
Com a morte do subtenente, chega a 44 o número de Agentes de Segurança Pública assassinados no Rio de Janeiro em 2020, sendo 32 da Policia Militar, 01 da Policia Federal, 03 do Corpo de Bombeiros, 03 da Policia Civil, 02 da Marinha do Brasil, e 02 Policial Penal da SEAP, 01 do Exército Brasileiro (EB).
Quem tiver qualquer informação a respeito da localização desses foragidos da Justiça, favor denunciar pelos seguintes canais:
Publicidade
- Whatsapp Portal dos Procurados (21) 98849-6099;
Publicidade
- Pela mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177 ou 0300-253-1177;
- Pelo aplicativo para celular – Disque Denúncia
Publicidade
Todas as denúncias sigilosas sobre o caso serão encaminhadas ao Delegacia de Homicídios da Baixada (DHBF) e ao Grupo de Pronta Resposta da Coordenadoria de Inteligência da PMERJ (GPRI), que tem como prioridade prender os envolvidos na morte de agentes de segurança.