A nutricionista morreu no dia seguinte da aplicação de silicone industrial nos glúteos - Divulgação
A nutricionista morreu no dia seguinte da aplicação de silicone industrial nos glúteosDivulgação
Por O Dia
Rio - A Polícia Civil do Rio indiciou o massoterapeuta Leonardo Lima de Souza, de 39 anos, por homicídio doloso, quando se assume o risco de matar, em razão da morte da nutricionista Patrícia Rodrigues dos Santos, de 34 anos.
Publicidade
A vítima teria sofrido com microembolia após a aplicação de silicone industrial nos glúteos, no dia 22 de outubro do ano passado, em um salão sem alvará de funcionamento no bairro de Alcântara, em São Gonçalo, região Metropolitana do Rio. 
Leonardo se apresentava como massoterapeuta e esteticista, mas não tinha habilitação para realizar esse tipo de procedimento, que é exclusivo para médicos autorizados. Durante o depoimento, o homem também revelou que cobrou o valor de R$ 2.151,80 para realizar a aplicação, parcelado no cartão virtual da vítima.
Publicidade
As investigações apontam que a nutricionista teria saído do salão alegando enjoo, horas depois foi levada para o Pronto Socorro de São Gonçalo, onde morreu no dia seguinte. O laudo da necropsia feita no corpo de Patrícia confirma que o líquido aplicado era silicone industrial e que a embolia pulmonar teria sido uma consequência do procedimento.