Segundo secretário municipal de Saúde, o município do Rio aplicou 41 mil doses da vacina anticovid até as 12h deste sábado
Segundo secretário municipal de Saúde, o município do Rio aplicou 41 mil doses da vacina anticovid até as 12h deste sábadoDivulgação / Renan Otto
Por Letícia Moura
Rio - Postos de vacinação no Município do Rio registraram filas, na manhã deste sábado, dia de repescagem para a aplicação do imunizante contra o coronavírus. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), o fluxo de pacientes em busca da imunização contra a covid-19 nesta manhã foi muito maior que o esperado. Em entrevista ao O DIA, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, informou que foram aplicadas, até as 12h deste sábado, 41 mil doses da vacina contra o vírus.
Soranz recomendou que as pessoas se vacinem no dia previsto pelo calendário de vacinação. "A repescagem é uma exceção. Só na manhã deste sábado, aplicamos 41 mil doses da vacina. Das 42 mil doses que fizemos ao longo do dia todo, 41 mil foram até as 12h, então, são bastantes doses. Também tinha a questão do grupo de 66 anos que se vacinou hoje, com o atraso de cinco dias na entrega do imunizante pelo Ministério da Saúde", explicou, fazendo referência às filas devido à grande procura pela vacinação neste sábado. 
Publicidade
O secretário acrescentou que a orientação é que as pessoas procurem as unidades de vacinação no período da tarde, porque pela manhã, normalmente, fica mais cheio, segundo ele. "No primeiro período da manhã, as pessoas procuraram a vacinação, todo mundo ao mesmo tempo, mas recomendamos que deem preferência para se vacinar à tarde", indicou.
Etapas de vacinação
Publicidade
No Município do Rio, o calendário de vacinação seguirá contemplando os grupos prioritários, a partir do escalonamento por idade e gênero. Na próxima semana, serão vacinadas pessoas de 49 a 47 anos: segunda-feira (mulheres com 49 anos); terça-feira (homens com 49 anos); quarta-feira (mulheres com 48 anos); quinta-feira (homens com 48 anos); sexta-feira (mulheres com 47 anos) e sábado (homens com 47 anos).
- Grupos prioritários: pessoas com comorbidades (lista PNI), pessoas com deficiência permanente, trabalhadores da saúde, guardas municipais envolvidos diretamente nas ações de combate à pandemia e de vigilância das medidas de distanciamento social.
Publicidade
- A partir dos 18 anos: gestantes e puérperas com comorbidades, pessoas com síndrome de Down e doentes renais crônicos dependentes de diálise.
Ainda segundo a Secretaria Municipal de Saúde, quem vai receber a aplicação deve apresentar identificação original com foto, número do CPF e, se possível, a caderneta de vacinação, além de documento que comprove a elegibilidade, conforme lista disponível em: coronavirus.rio/vacina.
Publicidade
Segunda dose
De acordo com o secretário Soranz, ainda permanece a recomendação de que a segunda dose deve ser aplicada no mesmo posto em que o paciente recebeu a primeira. "Mas, se por algum acaso, naquele dia, aquela unidade não está aberta, a pessoa pode se direcionar à unidade mais próxima do posto de vacinação dela", explicou, concluindo que a capital não está fazendo a vacinação de moradores de outros municípios.
Publicidade
No caso de falta do fámarco CoronaVac para segunda dose em algum posto de imunização, Soranz informou que o paciente pode procurar a unidade mais próxima, "mas precisa justificar ao vacinador por que não foi à unidade de referência dela".