Mais Lidas

Escritor gonçalense lança livro sobre ritual moçambicano em restaurante africano do Rio

'Casamento Tradicional Bantu: O lobolo no sul de Moçambique' ganhou dois prêmios como pesquisa universitária antes de ser publicado como livro

Por O Dia

O autor Rhuann Fernandes, 24 anos
O autor Rhuann Fernandes, 24 anos -
SÃO GONÇALO - O escritor gonçalense Rhuann Fernandes, de 24 anos, lançou seu primeiro livro em um dos principais restaurantes africanos do Rio de Janeiro, o Dida, na Praça da Bandeira. Casamento Tradicional Bantu: O lobolo no sul de Moçambique é fruto de uma pesquisa realizada pelo autor ao visitar a África em 2018 quando ainda era universitário. O lobolo é uma prática tradicional em que o noivo concede bens materiais à família da noiva para realizar uma união reconhecida entre os parentes de ambos. Mesmo com períodos de repressão, esse casamento permanece naquela sociedade como um importante meio de organização social e legitimação da união homem-mulher.
Para sua viagem, o rapaz, que já estava com o tema definido, recebeu o seguinte conselho de um de seus professores: “vá com a mente aberta, pois ao chegar lá poderá mudar radicalmente seu foco”. E foi o que aconteceu: ao escutar a crítica de alguns brasileiros que também estavam no país sobre a tradição e os feitos no casamento de Moçambique, Rhuann ficou curioso para conhecer mais sobre o ritual lobolo e acabou recebendo um convite para acompanhar uma cerimônia. Após sete meses de estudo, nasceu o livro que, antes mesmo de ser publicado, ganhou duas premiações como pesquisa.
A trajetória do jovem formado em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) é permeada de conflitos e dificuldades, características bem conhecidas dos moradores de comunidades. Além das questões inerentes às desigualdades sociais, quando criança, foi classificado pelos pedagogos da escola onde estudava como uma pessoa com alto déficit de atenção. “Mas gente contraria inteiramente o que nos impõem como algo natural”, prova ele na prática através de seus feitos.
Criado no bairro Jardim Catarina, em São Gonçalo, Rhuann despertou para os estudos aos 16 anos depois de ganhar da sua prima o livro autobiográfico do líder do movimento negro Malcom X. “Esta obra mudou minha visão de mundo, pela luta do Malcolm e, principalmente, pela maneira com que ele foi impactado pela literatura dentro da prisão. Ele também fornecia muitos conselhos. Não à toa, sua biografia é considerada hoje por parte do movimento negro nacional e internacional quase que uma bíblia. Depois dessa leitura, tudo passou a ser diferente para mim. Comecei a enxergar a vida com mais criticidade”, lembrou.

O que na adolescência deu início ao um jovem sonhador e com um olhar crítico para o mundo, hoje sela a carreira como escritor, sendo ressaltado por Rhuann como “o primeiro de muitos”. O livro está disponível para venda no site da editora: https://tinyurl.com/y484ph4a.

Comentários