Dimas Gadelha e o vice Marlos Costa - Divulgação
Dimas Gadelha e o vice Marlos CostaDivulgação
Por Irma Lasmar
Publicado 02/11/2020 20:40 | Atualizado 02/11/2020 20:41
SÃO GONÇALO - Dimas Gadelha (Partido dos Trabalhadores - PT), 45 anos, é o prefeitável do segundo maior colégio eleitoral do estado do Rio de Janeiro que conta com o apoio dos prefeitos de Maricá, Fabiano Horta (PT), e de Niterói, Rodrigo Neves (PDT) - os quais, aliás, já participaram de carreatas com o candidato à Prefeitura gonçalense. Sanitarista, casado e com dois filhos, ele chegou da Paraíba com 13 anos ao bairro da Trindade, em São Gonçalo, para morar com a avó e realizar o sonho de estudar Medicina. Com especializações em Saúde Pública pela Fiocruz e Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde pela Fundação Getúlio Vargas, dedicou boa parte de sua trajetória profissional em cargos públicos, tendo implantado serviços em São Gonçalo como o Saúde da Família, o Serviço de Atendimento Domiciliar (SAD), as Unidades Municipais de Atendimento de Urgência do Pacheco e Nova Cidade, clínicas da Família, o Centro de Imagens, o Espaço Rosa, academias da Saúde, entre outros. 
Utilizando-se do número da sorte de seu partido, Dimas elaborou e protocolou em cartório um plano de governo com 13 metas, abordando as principais áreas do atendimento em serviço público, ao lado do colega de chapa Marlos Costa (Partido Democrático Trabalhista - PDT). Formado em Direito pela UFRJ e com especialização em Administração Pública pela FGV, o vice-prefeitável é funcionário concursado do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ). Também com 45 anos, casado e com três filhos, Marlos nasceu no sertão da Bahia, mas veio ainda bebê para São Gonçalo, onde vive até hoje. Exerceu dois mandatos de vereador (eleito em 2008 e 2012) e foi secretário municipal de Desenvolvimento Social (2017-2018). Em 8 anos de atuação na Câmara Municipal, apresentou 200 projetos, tendo aprovado mais de 35; promoveu cerca de 50 audiências públicas e uma prestação de contas a cada semestre. Entre suas leis, está a que exige transparência na execução orçamentária do município e a que estabelece a “Ficha Limpa Municipal” para disciplinar as nomeações em cargos de comissão e funções gratificadas. Também é o criador do Conselho Municipal de Economia Solidária.
Publicidade
“O documento registrado no 5º Ofício de São Gonçalo de Notas e Protestos de Títulos destaca as 13 metas que serão cumpridas no meu governo, dando ainda mais respaldo aos gonçalenses para cobrar o que foi prometido. Podem cobrar. Anotem aí, a partir de 2021, São Gonçalo vai pra frente. Chega de mentira e atraso em nossa cidade”, dispara Dimas.
Veja as metas propostas pela dupla para a gestão de São Gonçalo caso eleita:
Publicidade
1. Duplicar o número de vagas da educação infantil (que hoje é de 3.000) e triplicar o número de escolas de tempo integral (hoje são duas entre um total de 110 unidades);
2. Implantar o Programa Jovem Profissional, criando 5 mil vagas por ano em qualificação profissional, hoje inexistentes na cidade, e implantar o Programa Jovem que Forma, com a oferta de 4 mil bolsas de ensino superior para a juventude gonçalense;
3. Gestão democrática: Incluir eleição direta para diretores de escolas e fortalecer os conselhos escolares;
4. Valorização: incluir/atualizar o plano de carreira, melhorando os níveis iniciais, e reformar os CIEPs municipalizados;
5. Inclusão de alunos com deficiência: contratar por concurso mais professores de apoio especializado;
6. Criar o Programa Saúde na Palma da Mão; Implantar os hospitais do Idoso, do Câncer e do Coração;
7. Criar o Programa São Gonçalo Mais Segura, com a implantação de 500 câmeras de monitoramento, e o Centro de Inteligência em Segurança Pública do município; disponibilizar 40 policiais militares por bairro; 
8. Criar o Programa Meu Lixo Minha Renda, através da Empresa Municipal de Desenvolvimento Urbano de São Gonçalo (EMDU), da implantação da coleta seletiva, hoje inexistente na cidade, e do fomento à criação de cooperativas de reciclagem;
9. Implantar o Cartão São Gonçalo, gerando renda local para os gonçalenses e o município;
10. Criar a moeda social, a exemplo de Maricá, para alavancar o desenvolvimento econômico da cidade, e o Shopping do Empreendedor, que oferecerá assessoria contábil, jurídica e financeira aos pequenos negócios, além de propor parcerias a bancos para a oferta de linhas de crédito com taxas mais baixas aos empreendedores;
11. Criar subprefeituras, tornando a Prefeitura mais próxima do cidadão gonçalense;
12. Implantar o Gabinete de Combate à Corrupção;
13. Implantar a Empresa de Transporte Urbano Municipal;
+ CULTURA, ESPORTE E LAZER = Desenvolver o potencial cultural e da economia criativa no município, incentivando a realização de feiras
agrícolas e de festejos populares, de promoção do teatro e do esporte com a construção de ginásio esportivo e a recuperação de espaços públicos, entre outros.
Publicidade
Conheça o perfil dos demais candidatos a prefeito de São Gonçalo clicando AQUI